Erros comuns em cenas de sexo – Parte 3

Por: CowardMontblanc Perfil:  https://fanfiction.com.br/u/232980/ Boatos diziam que eu, tia Coward, fugi e perdi minha conexão co...


Por: CowardMontblanc
Perfil: https://fanfiction.com.br/u/232980/

Boatos diziam que eu, tia Coward, fugi e perdi minha conexão com a internet para sempre. Esses boatos estavam errados.

Porque enfim, depois de muito tempo, eu estou de volta com a parte final da série de posts sobre erros comuns nas cenas de sexo. Acredito que você se lembra dos dois primeiros posts, certo? Se não, sinta-se livre para reler! O primeiro se trata de erros na narração e falas, e o segundo sobre erros de anatomia. E nesse post, que será o último da série, vamos falar de erros que eu irei chamar de erros conceituais.

Mas o que seriam erros conceituais, exatamente?

Para fins meramente explicativos, esses são os erros que não tem tanto a ver com a narração em si ou com o que está acontecendo anatomicamente durante uma cena de sexo. Muitas vezes eles estão ligados ao conceito da cena, e principalmente do que está se passando na cabeça de quem está escrevendo, ou quando deveria ser levado em conta e não é. São coisas que estão mais ligadas com a ideia por trás da cena do que com o que está acontecendo em si.

Muitas vezes, cenas eróticas perdem todo o seu potencial pelo fato de que se baseiam nesses erros. A escrita pode ser boa, mas de nada adianta isso se ela cair num desses erros que o post vai tratar. Na verdade, eu já vi muitos bons escritores caindo em pelo menos um deles.

Vamos ver quais são?

  1. Pensar que escrever cenas de primeira vez é mais fácil

Chegou a hora. O casal daquela fanfic linda e enorme que você está lendo finalmente vai ter aquele momento super-romântico e especial. Seu coração está quase pulando pela boca, afinal, você sonha com isso desde que percebeu que eles tem química e você acompanhou cada troca de olhares, o primeiro beijo, o primeiro encontro...

Então você chega na primeira vez deles. Os personagens são inexperientes e vão descobrir tudo juntos… Ou deveriam, porque quando você lê a cena, percebe que eles juntos na cama são capazes de fazer qualquer ator ou atriz pornô corar de vergonha e ficar verde de inveja com suas incríveis habilidades e confiança, além de já saberem todos os pontos fracos e fetiches secretos um do outro.

Não é preciso pensar muito pra entender que na realidade é bem diferente, não é? Por mais que uma fanfic seja uma fantasia, escrever cenas de primeira vez são na verdade bem mais complicadas do que as que envolvem personagens mais experientes. E quando você escreve uma cena assim totalmente perfeita, sem envolver pelo menos um pouco de timidez por parte dos personagens, pequenos erros no meio do caminho e outras trapalhadas, toda e qualquer suspensão de descrença se vai. É difícil acreditar que os personagens são inexperientes quando eles já sabem tudo que deveriam aprender com o passar do tempo, especialmente quando as partes são jovens.

Se você quer mais liberdade para fazer cenas que envolvem alguns fetiches ou posições mais incomuns, é melhor deixar isso para um casal mais experiente ou uma cena futura. Ninguém começa sabendo tudo, e por mais que seja um pouco mais complicado narrar cenas eróticas com personagens inexperientes, a experiência de narrar ou ler sobre as primeiras descobertas de um casal ou personagem é com certeza bastante gratificante!

  1. Fazer todas as cenas com o mesmo “roteiro”

A fanfic é bem escrita e tem um enredo incrível! Você começou a ler algumas horas mais cedo e não consegue mais parar. Você passou pela primeira cena de sexo, e ela foi muito bem escrita e divertida, sem nada de errado. Feliz, você continua a leitura. E a próxima cena erótica tem basicamente os mesmos acontecimentos da primeira. E a próxima… E a próxima… E todas as seguintes.

Todas as cenas são iguais, e você começa a pular porque já leu isso antes.

Sexo na vida real nunca é sempre igual, mesmo quando ocorre com as mesmas pessoas num mesmo lugar. Por isso mesmo, não precisa ser sempre igual na ficção. Isso é algo que parece ser bem simples, até, mas infelizmente sexo repetitivo é algo muito fácil de se encontrar. Não tenha medo de tentar coisas novas! Os leitores gostam de variedade, e os personagens também.

  1. Achar que a cena não é sexo “de verdade” por não ter penetração

Os personagens podem fazer tudo. Podem tirar as roupas, podem se pegar em todos os lugares possíveis, e realizar mil e uma acrobacias na cama. Porém, enquanto não houver penetração, não é sexo.

Nem preciso dizer muita coisa aqui. Sexo não é apenas penetração. Outras espécies de carícias que seus personagens podem trocar podem e devem ser consideradas sexuais, contanto que tenham esse intuito. Uma cena de oral é uma cena de sexo, assim como uma de masturbação mútua e tantos outros derivados que se podem imaginar. Não se sinta obrigado a colocar penetração numa cena erótica para que ela seja considerada “de verdade”, porque se tem atos sexuais, então já é. Além disso, na vida real muitas vezes pessoas fazem sexo sem penetração e ficam satisfeitas mesmo assim.

Sem falar que alguns casais nem praticam necessariamente o sexo com penetração. Basta olhar para os casais lésbicos. A não ser que uma das mulheres seja trans, elas só podem praticar o sexo com penetração com o auxílio de brinquedos, e não é sempre que elas vão usar isso, não é verdade?

  1. Como assim ninguém engravidou até agora?

A fanfic se passa no mundo atual, com toda a tecnologia que nós temos. Ainda assim, o casal fez sexo inúmeras vezes, nunca usou uma camisinha no ato e mesmo assim a menina nunca engravidou e ninguém nunca pegou uma doença sexualmente transmissível. Como? Pura conveniência para a trama.

É claro que por ser ficção, você tem o total controle de saber quando alguém irá engravidar ou pegar uma doença. Ainda assim, ver os personagens fazendo sexo a torto e a direito sem nenhuma proteção e saindo sem nenhuma consequência física depois acaba com a descrença de quem está lendo. Não é difícil falar de métodos contraceptivos, basta escrever uma linha ou duas sobre como Fulaninha toma anticoncepcional ou como Fulaninho pegou a camisinha e colocou antes do ato. É um detalhe muito simples, mas faz bastante diferença, e falar sobre essas coisas apenas serve pra tornar a cena mais verossímil.

Se seu plano é fazer alguém engravidar, porém, pode deixar de lado. Ou então caso a sua história se passe em tempos antigos ou num universo onde esses métodos não existem ou são pouco utilizados. Afinal, camisinhas modernas com certeza não devem existir na Terra Média.

  1. Tratar os personagens como bonecos infláveis na hora do sexo

Muitas vezes em cenas eróticas quem está escrevendo se foca tanto em descrever direito o que está acontecendo no aspecto físico que se esquece completamente de narrar o psicológico dos personagens. Então, quando alguém lê a cena, eles não parecem pessoas, e sim bonecos infláveis sem personalidade ou sentimentos que mais parecem estar lá para satisfazer as fantasias de quem escreveu.

Sexo não é apenas algo físico, pois envolve muitos sentimentos. Não é apenas pelo fato de que os personagens estão se agarrando que eles vão deixar de pensar. Afinal, se eles estão fazendo sexo, eles devem nutrir sentimentos um pelo outro e é bem provável que acontecimentos anteriores acabou levando-os para esse ato.

Não deixe os sentimentos e pensamentos de seus personagens de lado nessas horas! Narrar o que se passa na mente deles não é uma distração para o leitor, e sim uma adição. Saber o que cada um está pensando e sentindo ajuda a cena a ter mais sentido, e faz com que a pessoa que está lendo se conecte mais com o momento e com o casal.

As melhores cenas eróticas não se apoiam apenas em boas descrições físicas, mas também das psicológicas. Sentimentos tornam tudo mais especial e inesquecível para quem está lendo, além de darem aquele diferencial para cada cena. O amor e carinho nutridos pelas partes, o nervosismo de uma primeira vez para aquele personagem inexperiente, o medo de um casal ser pego em flagrante num relacionamento proibido… Narre isso tudo e mais.

  1. BDSM não é como em 50 Tons de Cinza

Desde que 50 Tons de Cinza foi publicado, muitas fanfics e livros começaram a falar mais sobre o incrível e curioso mundo do BDSM. E por mais que isso seja interessante, muitas pessoas inventam de escrever sobre BDSM baseando-se apenas no que está na série 50 Tons, que só trata da ponta do iceberg e contém uma série de informações erradas; ou então nem pesquisam e usam apenas de clichês disseminados pela cultura pop, que não trata o tema com o maior respeito do mundo.

Como o conteúdo desse post se trata de cenas eróticas em geral e não apenas de BDSM, vou aproveitar aqui apenas para dar algumas dicas, e não um manual. A mais importante é que, se você pretende escrever sobre o tema, pesquise muito. Existem milhares de sites e artigos sobre BDSM escritos por pessoas que praticam isso nas suas vidas, e que cobrem desde as coisas mais básicas como os papéis de dominador e submisso e vão até as mais específicas, como informações de segurança em relação a algumas práticas. E que fonte melhor para saber como acontece na prática do que lendo sobre o assunto a partir do ponto de vista de quem possui a experiência?

Outra coisa importante é saber que tudo no BDSM deve ser consentido entre as partes. É muito comum que elas conversem sobre o que pretendem fazer antes de cada sessão, e muitas vezes isso ajuda na preparação do que for necessário. É um ato de confiança e respeito. Além disso, existe a safeword, que é uma palavra combinada que pode ser dita por qualquer uma das partes a qualquer momento durante a sessão por qualquer motivo, e assim que isso acontece, é preciso parar com o que se está fazendo.

Por último, existe uma coisa chamada aftercare, que acontece logo após o fim de cada sessão, onde as partes cuidam uma da outra da maneira que for necessária. Pode ser com abraços, preparando um banho, dando água ou alguma coisa para comer, enfim. É um momento para relaxar e para as partes se apoiarem física e psicologicamente, lembrando uma a outra que está tudo bem e que agora que tudo acabou, elas podem voltar a agir normalmente.

  1. De repente, o OOC sem explicação

A fanfic estava correndo muito bem. A história estava fluindo, a leitura estava harmoniosa e todo mundo estava agindo de acordo com o esperado… Até que de repente aquele casal começou a trocar uns beijinhos ali, foram ao quarto e depois tudo virou uma bagunça só. Sem motivo algum, aquele garoto tímido passou a soltar falas dignas de um filme pornográfico, e aquela moça extrovertida e que vive flertando com os garotos fica toda tímida, coradinha e mal consegue falar sem gaguejar. Aqueles personagens que você conhecia viraram pessoas completamente diferentes sem a menor explicação para tal.

O problema aqui, obviamente, não é a mudança na personalidade. Não é porque alguém age de uma maneira publicamente que ela vai continuar agindo da mesma forma privadamente. O que não pode acontecer é faltar explicação para tal, e a mudança acontecer de uma maneira muito brusca. Talvez os seus personagens estão encenando papéis, talvez estejam praticando BDSM, beberam um pouco e se soltaram ou simplesmente se sentem mais à vontade sozinhos porque se conhecem há tempos. Contanto que esteja bem explicado no texto, está valendo.

  1. Estupro não é uma forma de conquista!

Esse erro aqui é, sem sombra de dúvidas, o mais sério de todos os que estão sendo tratados nesse post, e infelizmente é algo fácil de se achar por aí não apenas em fanfics, como algumas vezes em livros. Geralmente a mocinha ou mocinho sofre da violência sexual e acaba se apaixonando por quem fez isso depois. Não há raiva, dor ou trauma, mesmo quando o ato não foi consentido. E muitas vezes o casal acaba feliz para sempre, seja com ou sem outras formas de abuso sexual depois.

Isso está erradíssimo. O estupro além de ser um crime (e hediondo segundo as leis brasileiras) é um ato que acaba causando danos terríveis para a vítima. Na grande maioria das vezes ela vai se sentir culpada pelo ocorrido, vai se sentir suja, e sua autoestima e confiança diminuem muito. Ela também não vai passar a gostar de quem a abusou, pelo contrário: ela vai sentir nojo, ódio, medo e coisas negativas. Não é incomum que ela acabe ficando com ansiedade e depressão derivados desse ato.

Estupro não é um sexo mais intenso ou BDSM, pois nesses dois casos ainda há o consentimento de quem está participando. Estupro é o ato sexual não consentido, que acaba causando sérios danos psicológicos para a vítima. Não é algo bonito ou romântico, e não é algo que pode ser deixado de lado. Além disso, estupro não é apenas a penetração forçada: nosso próprio Código Penal compreende como sendo qualquer ato sexual não consentido feito a partir de violência ou grave ameaça.

Você pode tratar sobre o tema na sua história, mas faça com o devido respeito. Estupro é um crime muito sério e suas consequências também. Se você quer mesmo falar sobre isso, fale, mas não se esqueça de levar em conta o fato de que não é uma coisa bonita. Porém, se você quer escrever uma cena de sexo mais “pesada” sem ir pra esse lado, faça os personagens consentirem. E não se esqueça de que narrar uma cena erótica na qual os personagens estão consentindo e felizes é muito mais romântico e bonito do que narrar uma onde uma das partes não quer seguir com o ato ou fazer algo específico.

  1. Escrever sexo só como forma de atrair leitores

Sim, tem gente que realmente faz isso. Mesmo quando não querem ou quando não vai agregar nada para a história, elas escrevem cenas de sexo para atrair leitores. Afinal, sexo vende. Ainda assim, ninguém deve se forçar a escrever o que não quer, especialmente se isso for algo que te deixe desconfortável.

Não é todo mundo que se sente bem narrando cenas eróticas, assim como existem pessoas que não se dão bem com comédia, drama ou terror. Todo escritor tem seus pontos fortes e fracos, e sabe o que gosta ou não de escrever. Além disso, quando você se força a escrever o que não gosta, o resultado geralmente não é muito bom. É melhor você escrever sobre o que realmente gosta, assim a sua escrita vai brilhar mais.

É claro, se você for iniciante na escrita erótica, é normal sentir uma certa vergonha e hesitação. Isso acontece com qualquer gênero quando você não tem experiência, e quanto mais você pratica, mais confiante você vai estar. Porém, se você realmente se sentir desconfortável e não achar que é algo que sirva pra você, tudo bem!

Sua história não precisa de cenas de sexo para ser boa, e você pode escrever muito bem sem colocar sexo no meio. Lembre-se que apenas você pode ditar o que vai ou não acontecer na sua história, então escreva o que lhe agrade em primeiro lugar. Acredite, seus leitores vão saber ver o carinho que você investiu para contar aquela história que você ama.

E ficamos por aqui. Essa terceira parte ficou enorme, não é mesmo? Ainda assim, acredito que está tudo bem explicado, e eu espero que esse artigo lhe sirva de ajuda!

Artigos relacionados

13 comentários

  1. Acabei de ler uma fanfic onde de alguma forma, a garota "encharcou" a calcinha e a calça por ver alguém... e na mesma história ela passa mal um dia após fazer sexo e engravida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podes sempre recomendar o nosso blog ao/à autor(a) ;)

      Excluir
  2. Depois que comecei escrever cenas mais hots, cometi muitos destes erros. As vezes leio algumas fanfics minhas antigas, e me acabo de rir rs A maioria das cenas eram repetitivas, eu tinha muita dificuldade em escrever algo assim e quando conseguia as outras cenas eram cópias, mudando algumas palavras.
    "Eu vou, eu vou… Aaaaaaaaah!" Outra erro, que eu já cometi muito! Quando vejo isto em uma cena erótica, acabo rindo. Me lembra também uma das minhas primeiras fanfics de "terror". Eu não sabia exatamente como descrever gritos, então poluía minha história com "Aaaaah". E hoje vejo que isso não só quebra um momento tenso na história, como faz seus leitores rirem e talvez até abandonarem sua fanfic.
    Adorei as três postagens sobre esse assunto! Esclareceu várias dúvidas, como é raro duas pessoas terem o orgasmo ao mesmo tempo. Vejo isto em várias fanfics, eu mesma já fiz muito isto.
    Se vocês já postaram sobre isso, peço desculpas. Mas tenho muita dificuldade em escrever cenas trágicas, de morte. Se for narrada em terceira pessoa, tenho mais facilidade. Porém já escrevi a fanfic inteira em primeira pessoa, narrada pelo personagem principal. E não sei exatamente como descrever a sua morte. Será que vocês teriam algum link, ou algumas dicas para me indicar? Estou meio perdida rs Obrigado pela atenção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Eu acho que não existe nenhum post no blog sobre isso e, de momento, não me consigo de lembrar de nenhum noutro blog. No entanto, vou acrescentar a tua sugestão ao nosso Banco de Sugestões, e em breve alguém deverá pegá-la. ;)
      Beijos

      Excluir
  3. Não sei se ajuda, mas procure por um livro chamado "Memórias Póstumas de Brás Cubas", se ainda tens duvidas...

    ResponderExcluir
  4. Qual é a dica que vocês dariam para alguém que não se sente confortável em fazer cenas de sexo, mas que queira fazer? Eu não sei se a minha cena vai ficar boa, e preciso de uma outra alternativa, se possível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se queres mesmo que a tua história inclua uma, mas não tens segurança no que estás a escrever, o melhor é pedires a um(a) amigx ou ao teu beta que leia a cena que tu escreveste e te dê a sua opinião, de modo a ajudar-te a melhorar :) Se não, talvez possas tentar fazer algo menos explícito, em que dês a entender o que acontece, mas que não te deixe sem confiança ou desconfortável com o que estás a escrever.

      Excluir
  5. Hey, pode me tirar uma dúvida?
    Então, em muitas fanfics eu tenho lido a expressão "movimentos de tesoura" (você já deve ter visto) isto é correto?
    Por que eu li em um blog que não existe esses tals movimentos...(seriam mais comuns em fanfics gays)
    Então fiquei na dúvida ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Infelizmente não te sei responder, mas posso passar a pergunta para à autora, se quiseres?

      Excluir
  6. Ando pensando em criar uma fanfic (yaoi) e sempre que estou prestes a começar uma eu sempre penso no enredo da história. E é claro,ando pensando na cena do sexo. Mas o que me deixa uma pouco indecisa é em relação à prevenção. Geralmente,na maioria de fanfics yaois que leio o casal quase nunca usa preservativo,algo que respeito pois cada um pensa de uma maneira diferente,mas é algo que eu não acho muito legal ao se escrever. Como vai ser a primeira vez do casal da minha história,eu pensei muito sobre a prevenção e fico em dúvida se acrescento ou não o uso dela na cena. Mas eu tenho medo que o leitor acabe por não gostar. Porque cá entre nós,em uma cena onde ambos estão fervendo de prazer,parar para esperar um dos personagens colocar o preservativo é um tanto inconveniente,pelo menos é algo que eu penso quando leio uma,pois o que todos estão esperando é o ato. Em algumas eu vejo que é muito rápido essa parte mas eu ainda acho que estraga o clima do prazer. Eu adoraria acrescentar isso na cena pois é sempre bom conscientizar o leitor ao fato das doenças sexualmente transmissíveis,mas quero fazer isso sem que "corte o clima" da tensão sexual entre os dois. Como eu poderia fazer isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey! Eu gostei muito da tua pergunta. Pessoalmente, incomoda-me muito quando acontece uma cena de sexo com penetração e não há menção do preservativo. Isto não é, de todo, algo que me incomode. Para mim, é mais importante mencionar o preservativo do que manter o clima, até porque o preservativo não "corta o clima" necessariamente.
      De qualquer maneira, eu percebo o teu dilema. Acho que a solução que te podia deixar mais confortável era mencioná-lo apenas no fim do ato (mencionares o personagem a tirar o preservativo ou o outro a vê-lo fazer isso), ou teres só uma passagem muito curta, tipo uma frase, durante o ato, embora tu tenhas dito que não o querias fazer.
      Outra solução, que eu não sei se é algo que tu gostavas de fazer ou não, é tornar a presença do preservativo essencial para o ato (um género de "deal-breaker"), em que um dos personagens se recusa a ter este tipo de sexo sem preservativo. Assim, isto até podia ser mencionado fora do ato em si, mas fica implícito que isso existira durante o ato, uma vez que, para um dos personagens, não haveria este tipo de sexo se não houvesse um preservativo (tens é que ter cuidado para não negares isto na cena em si).
      Espero ter ajudado! :)

      Excluir
    2. Muito obrigado mesmo. Me ajudou bastante! Como sempre,vocês estão fazendo um ótimo trabalho! ^^

      Excluir

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.