Tipos de Autor

Por: Elyon Somniare Link: http://fanfiction.com.br/u/18441/ Saudações, jovens bolinhos de caramelo! Recordam-se do artigo cóm...


Por: Elyon Somniare


Saudações, jovens bolinhos de caramelo!

Recordam-se do artigo cómico-mas-sabem-que-são-um-deles do tipo de leitores? Pois é, esta moeda tem duas faces e como podem os leitores existir sem autores? Também os autores são criaturas fascinantes capazes de serem categorizados em um ou mais (ou repartidos por!) tipos. Primeira distinção a fazer: os Tipos de Autores Atendendo às Histórias e os Tipos de Autores Atendendo ao Seu Comportamento.

Deixemo-nos então de paleio e passemos aos Tipos de Autores Atendendo às Histórias:


1) Autor Sean Bean: Morre tudo. Mete o Romantismo Português num sapato e George R. R. Martin é um amador ao seu lado. A sua lista de histórias está mais para um cemitério que para uma página de internet.

2) Autor Chorar as Pedras da Calçada: Quer as personagens morram quer não, este autor arranca a pele da nossa alma e deixa a carne viva dos nossos sentimentos em sofrimento profundo. Assim como o MACHO-QUE-É-MACHO nomeia os seus punhos, também este autor nomeia as suas mãos: a Angst e a Drama.

3) Autor Gato Pardo em Noite Escura: Pode ser fandom ou ship, mas qualquer uma destas opções tem algo que é garantido: é obscuro. Uma pessoa clica na categoria e tem duas fics. Do mesmo autor. Por vezes três, mas aí notamos que uma delas foi mal categorizada. É, este autor anda pelos becos escuros do fic world.

4) Autor .rar: Não importa quanta trama, quanto enredo, quantas personagens. O capítulo não vai passar das quinhentas palavras, e só não fica abaixo das cem porque o Nyah estabeleceu limite mínimo (rumores correm que o fez por conta deste Autor).

5) Autor TCC: Rumores correm que por conta deste Autor o Nyah estabelecerá um limite máximo (rumores são frequentemente falsos). Não importa quanta vagueza, quanta falta de enredo, se a personagem é só uma ou mesmo nenhuma. Cada capítulo é uma tese e o autor olha o mundo como olha um NaNoWriMo eterno.

6) Autor Kinder Ovo: No ovo que é a sua história, cada final é uma surpresa. Pode ser algo bom e extraordinário que nos faz ainda querer estes ovos vinte anos depois de termos deixado a infância.
Ou pode ser um puzzle.

7) Autor Nora Roberts: A história é Policial eeee… Olha, Romance. A história é Mistério eeee… Olha, Romance. A história é Fantasia eeee… Olha, Romance. Não importa a categoria da história. Não importa que a sinopse diga ser sobre as atribulações da primeira colónia da Terra em Marte. Não importa que o Prólogo apresente o relato pormenorizado de um assassinato com requintes de crueldade. Não-im-por-ta. O Romance vai dominar e prontamente colocará quaisquer outros elementos do enredo em segundo plano.

8) Autor Barroco: Se as suas histórias se materializassem, seriam um altar em talha dourada com tanto anjo, tanta parra, tanta uva e tanto detalhe que uma pessoa nem se sente tentada a rapinar aquilo só por conta do trabalho que seria desmontar tudo para venda no mercado negro. Este Autor quer tanto, mas tanto escrever de forma bonita e poética que se esquece de dar sentido ao conteúdo. Embelezar a escrita, ok. Arrancar-lhe o sentido, menos ok.

9) Autor Déjà-vu: Também conhecido por Autor Dan Brown. Lemos uma história, está fixe. Lemos outra história, sentimos uma ligeira comichão, algo como um eco… Lemos outra história “Espera aí… Eu já li isto!” Pois é, pois é. Este Autor é aquele que, descobrindo uma fórmula, não consegue usar outra coisa, acabando por dar a sensação ao leitor de estar a mascar uma chiclete que há muito já perdeu o sabor.

10) Autor Kamasutra: É Orange, é Lemon, é Hentai. A salada pode ser de uma só fruta ou de várias, a certeza é esta: cada história, cada capítulo, terá sexo. Bem ou mal descrito, bem ou mal inserido, com ou sem enredo, o sexo está lá. E se reclamar tem especial de suruba.

11) Autor Eu Devia Estar a Pagar Para Ler Isto: Ah. Este Autor. Este Autor é aquele autor perfeição que uma pessoa se questiona se não será também missionário para colocar assim aquela maravilha de história na net, de graça, para toda a gente ler. Este, meus queridos, é o Autor que deveria ter publicado a sua história em livro, livro esse que iria direitinho para a nossa biblioteca privada, e irá mesmo caso o Autor se decida ainda em publicar.

Há mais? Pois claro que há mais, mas o artigo prolonga-se e ainda temos uma outra categoria a listar. Levantados assim os principais Tipos de Autores Atendendo às Histórias, fiquemos então com o mais comuns Tipos de Autores Atendendo ao Seu Comportamento:
1) Autor Nova Temporada de Sherlock, Moffat: Ninguém sabe, ninguém viu, ninguém ouviu. Este Autor escreve divinamente, eleva os nossos parâmetros de leitura de fics, deixa-nos a salivar pelo capítulo seguinte… E desaparece. Para voltar com novo capítulo, de umas dez mil palavras, um ano depois. Por vezes traz também umas desculpas consigo, a promessa de não voltar a desvanecer-se por tanto tempo. Outras nem se dá ao trabalho. Já sabe que voltará a fazer o mesmo – e nós também.

2) Autor Atlântida: Dizem que a sua história existiu. Por vezes aparece alguém a contar sobre um amigo de um amigo que ainda leu uns capítulos. Ou com vestígios que dizem ser tudo o que resta dessa história. Não sabemos. Dizem que existiu, mas que o autor, do nada, lançou o apocalipse sobre a história e apagou-a da eternidade. Pior ainda é quando isto parece acontecer com várias das suas histórias ou *arquejo de horror* com o próprio perfil do Autor.

3) Autor Pontualidade Britânica: Àquele dia, àquela hora, àquele minuto, o capítulo está postado para leitura. Não há preguiça, não há bloqueio, não há compromisso social que impeça este Autor de cumprir escrupulosamente a meta que ele próprio determinou. A pontualidade britânica pode já ser mais fama que realidade, mas a deste Autor never!

4) Autor Olha a Chantagem: Não tem 7578392276 comentários na fic? Não tem 752816562 recomendações? Pois que se lixe quem está a acompanhar a história com reviews no momento em que o novo capítulo sai, ou que opta por usar o pouco tempo livre que lhe aparece para se dedicar àquela fic. Isto a partir de agora é uma vending machine: sem enfiar a moedinha e chegar ao numerário X, não há actualização.

5) Autor Alagoinha: Este Autor nunca sabe muito bem onde está. Acordou despassarado ao pé de uma mini-lagoa e não sabe ainda o que fazer. Também anda meio atarantado. “Epah, esta minha história de Naruto não é Original? Mas se a história é minha…” “Como assim, sexo tem de ser +18? Mas se eu é que escrevi e tenho treze…” “Quer ler minha história? Como assim, vai denunciar por enviar propaganda por MP?”
Usualmente este Autor é o casulo da maioria dos Autores, deixando a Alagoinha enquanto borboleta quando decide ler as regras de uma vez por todas, ou ganha idade e experiência, ou ganha Noção.

6) Autor Saco de Doçura: Ele faz notas iniciais. Ele deixa notas finais. Ele responde às reviews. Ele responde às MPs. Ele envia MPs a agradecer favoritos e recomendações. Ele é hoje e sempre um amor de pessoa em tudo o que escreve (excepto em relação às próprias histórias, que são descrições detalhadas de desmembramentos humanos, numa narração em primeira pessoa do sádico psicopata). A impressão que temos deste Autor é que um dia que nos encontremos, surgirá a voar numa nuvem de algodão-doce com um saco de guloseimas para nos entregar.

7) Autor Monólogo de Camões: Se tivessem prestado atenção aos Lusíadas, saberiam dizer de imediato qual a principal característica deste Autor. Mas não prestaram, pois não, seus malandrecos? Então cá vai: também Camões acusou os seus contemporâneos de não saberem valorizar a Literatura-da-Boa (vulgo, ele próprio). Mais do que isso, conseguiu tornar esse “mimimimi” em versos que fazem agora parte do “grande livro da Língua Portuguesa”. Este Autor pode ou não ter as capacidades de Camões, pode ou não vir a ter a sua fama (pista: a maioria não terá nem uma coisa nem outra) e pode ou não ter a mesma capacidade de vir a ser odiado em massa por estudantes que desejavam muito, mas mesmo muito, que o predicado estive seguidinho ao sujeito. Mas só uma coisa é certa: também este Autor sabe reclamar quão subvalorizado é. E fá-lo. Longa e repetidamente. Para nosso bem, não em verso.


Mais uma vez: há mais? Claro que há mais. Mas é tarde e tenho de me fazer à vida, pelo nos ficaremos por aqui. Lembraram-se de mais algum? Deixem nos comentários. Identificaram-se com um? Com vários? Com mais do que gostariam? É, pois, acontece. Haja alegria (e muita escrita).

REFERÊNCIAS
Experiência pessoal.
Experiência de outros betas e autores (especial agradecimento à Ana Luísa Coelho, à Last Rose of Summer, ao Jean Claude, à Lady Salieri e à Anne L).

Artigos relacionados

6 comentários

  1. Ah, moça!! Nossa, acabei parando aqui por uma coincidência, mas amei você é seu jeitinho de escrever!! Uau, que site (ou é blog?) incrível haha Gostei demais e me indentifiquei sim!! "Saco de doçura" me define haha o que posso fazer se quero cobrir meus leitores de purpurina,doces e estrelinhas de arco- íris? Rsrs também sou o tipo de autora que gosta bastante de capítulos longos haha XD

    Postagem há quase um ano, omg!! Desculpe por não vir aqui antes e comentar para vc y.y Atrasada demais?
    Beijos, florzinha!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que não estás atrasada! Ficamos contentes por teres gostado do post e espero ver-te mais por cá! :D

      Beijos

      Excluir
  2. Adorei, sou exatamente o autor "choram as pedras da calçada" quando escrevo...E meu perfil é "um saco de doçura" kkk, respondo cada comentário, e quando um passa desapercebido sinto um remorsinho, eu gosto de tratar os leitores com carinho e por incrivel que pareça eu descrevo desde torturas até suícidio nas minhas histórias.

    ResponderExcluir

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.