Títulos

Por: Takahiro Haruka Perfil : http://fanfiction.com.br/u/33636/ Afinal, qual a importância do título da história? Poi...



Por: Takahiro Haruka


Afinal, qual a importância do título da história? Pois bem, pode até parecer que não, os leitores não prestam atenção em títulos, contudo, se formos parar para pensar, qual é o primeiro contato do leitor com uma obra?
            Ora, não é através do título? Muitas das vezes ele dá pistas do que encontraremos naquele exemplar, como “As Crônicas de Nárnia” e “As Crônicas de Gelo e Fogo”. Se observarmos o título teremos de imediato o pensamento: crônicas. “Contos de fadas”, “Contos clássicos” e até “Contos de natal” deixam explícito que teremos um livro com contos.
            É necessário, primeiramente, deixar claro que não há uma regra ou um padrão para a escolha de títulos. Usar de bom senso na hora de escolhê-lo é o mais adequado. Muitas das vezes, escolher um título para uma obra é difícil, entretanto, se atermo-nos a detalhes, conseguiremos extrair da própria obra um título que se adéque a ela. Como assim? Vou explicar usando exemplos:

·         Chapeuzinho vermelho
O título faz referência ao fato da menina atravessar o bosque, indo de encontro à avó, usando uma capa vermelha com capuz, como se ela usasse um chapéu vermelho. Não parece muito coeso em um primeiro momento, mas se formos pensar que um ponto vermelho no meio de um bosque com certeza atrairia o lobo mau, talvez faça realmente sentido, não?

·         Branca de neve
Comparar a pele extremamente pálida da moça, que é a personagem principal, à neve, deu origem ao título da obra.

·         A menina que roubava livros
Uma menina que rouba livros? Mas que graça tem esse livro? Bem, no primeiro momento parece um título sem graça, mas, se você parar para refletir, entrará em um tsunami de indagações: quem é essa menina? Por que ela rouba livros? Que tipo de livros ela rouba? O que isso tem a ver com o enredo? Até quando ela será uma ladra?

·         A cabana
A importância da cabana para a história é inegável. É dentro dela que o personagem principal se descobre, enfrenta medos, tabus, dramas e cresce psicologicamente.

·         50 tons de cinza
Mesmo que o livro tenha lá seus pontos negativos, o título faz alusão ao fato de o personagem principal possuir segredos obscuros e sombrios, além dos normais e corriqueiros de qualquer ser humano. Esse contraste entre segredos “normais” e segredos “absurdos” deu origem ao termo “tons de cinza”, que é uma quantidade alta de variação entre branco e preto.

·         Memórias Póstumas de Brás Cubas
Pelo título imaginamos que o livro contará as aventuras de um sujeito chamado Brás Cubas, depois de sua morte. E, nossa, não é exatamente isso que acontece no livro?

·         Saga Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse e Amanhecer
Soam, sem dúvida, legais e diferentes, mas que ideias dão da história? Todos os títulos remetem a fenômenos naturais. O que podemos imaginar de um livro com título assim? Crepúsculo: Pôr do sol, fim de tarde; Lua Nova: ciclo mensal, fases da lua; Eclipse: fenômeno lunar; Amanhecer: nascer do sol, manhã. Talvez haja um valor figurado, mas só podemos tirar uma conclusão ao terminarmos de ler o livro.

·         Diário de um banana
Um livro que se refere a um diário escrito por um banana? Hum, dizem ser um livro interessante, mas tentar imaginar o que acontece na história, baseado no seu título, nos faz imaginar algo engraçado.

·         Entrevista com o vampiro
Como seria ter o protagonista de nossas mais íntimas curiosidades respondendo-as para nós? É um título intrigante e curioso que, sem dúvida, atiça os leitores. Vampiros temem realmente sol e alho? Bebem sangue? Possuem sangue nobre e podem transformar seres humanos em transmutados?

Títulos são muito diversificados. O segredo para escolher um legal é analisá-lo junto à história. Imagine você, sendo um leitor ávido por ler algo novo, encontrando a sua história e julgando-a pelo título. Qual seria a reação diante dele? Intriga, curiosidade, euforia ou indiferença?

Há algumas dicas que podemos dar que, na verdade, são bem simples:
  • ·         Se a história for baseada em uma música ou citar uma, associar o título dela ao da história;
  • ·         Usar uma palavra marcante, sendo adjetivo ou substantivo, que intrigue a imaginação do leitor;
  • ·         Uma frase diferente: A casa sem chão, Os olhos do mundo, Mágoas passadas. Apenas tome cuidado com o tamanho: ela pode acabar sendo sem graça;
  • ·         Não coloque “Casa branca” se a história se passa no Japão;

·         Faça uma pesquisa na internet e veja se há outras histórias com título semelhante ou igual. Ser original é muito bom, também facilita para os leitores que forem buscar a história apenas tendo em mente o título.

E se eu quiser colocar qualquer título?
Você tem todo o direito de colocar o título que desejar na sua história. O que queremos é dar dicas de como escolher um bom e intrigante.
Vou colocar o nome do shipp ou do fandom no título.
Para quê? Tudo bem que os leitores de tal shipp/fandom encontrá-lo-ão com maior facilidade, mas fica esteticamente feio e poluído. Caso queria atrair o leitor usando tags, coloque-as após a sinopse, dentro de aspas ou parênteses.
            Fic Interativa, Entrevistando os personagens, Talkshow, pode?
Poder você pode tudo, gafanhoto, mas como já foi dito, a parte estética também faz parte da história. Qual é a necessidade de colocar esses títulos, quando você pode colocar algo diferente e que se enquadre no tema da história e avisar na sinopse que ela é interativa, entrevista ou talkshow? “Segredos desvendados”, “Conhecendo os bastidores” ou “Ria com fulano de tal” podem ser títulos diferentes e atrativos até mesmo ao público que não se interessa por esses tipos de fanfics.

 Exemplos práticos de títulos legais


Extra
Para escritores profissionais e aspirantes a escritores
Lei sobre direitos de título

A justiça também protege títulos, assim como obras originais registradas na Biblioteca Nacional. Para saber detalhadamente sobre o assunto, consulte a Lei 9.610/98. Explicando de modo mais amplo, se o seu título for original e único, dentro de um tempo você pode pedir direitos sobre ele. Não havendo nenhum outro no mercado, você poderá tê-lo e assim manter o seu livro como o único com aquele título.
A Ana Beatriz Nunes Barbosa e o Denis Borges Barbosa fizeram um artigo explicando com detalhes o que é possível proteger e o que não é. Acesse o artigo: Proteção de Títulos de Obras. O DANNEMAN, em um artigo publicado em 01 de janeiro de 2012, nos trás um caso de reivindicação de direitos de um título, em que, já estando na praça, foi negado à Autora. Leia o artigo na íntegra aqui: A visão do judiciário sobre a proteção dos títulos de obras à luz dos direitos autorais.


Como vocês podem ver, o título é parte integral de uma história. Ele tem um peso na opinião do leitor, representa a história como um cartão de visitas e é até mesmo protegido pelo Estado. É claro que, para alguns de nós, principalmente os que encaram a escrita como apenas hobbie, direitos autorais não têm tanta importância. Contudo, caso você venha a publicar um livro, ou apenas a registrar a sua história na Biblioteca Nacional, vale pesquisar sobre o assunto e, caso o seu título seja inédito, conseguir os direitos autorais dele também.

É isso aí, queridos, até a próxima. Beijinhos da Noni!

Bibliografia



Artigos relacionados

2 comentários

  1. Oi,


    Muito interessante esse post! Na verdade, adoro todos os que vocês postam aqui, e só tenho a agradecer por mais esse.

    Essa coisa toda de título sempre me deu dor de cabeça. :(


    Shuahua

    ResponderExcluir

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.