Como escrever um prólogo?

Por: The Escapist Perfil:  http://fanfiction.com.br/u/44061/ O prólogo é um elemento bastante comum em livros e também em fanfict...


Por: The Escapist

O prólogo é um elemento bastante comum em livros e também em fanfictions, por isso vamos falar um pouco sobre ele e aproveitar para esclarecer algumas dúvidas recorrentes sobre como escrever um prólogo.

Antes, vamos saber o que significa prólogo: a palavra tem origem no latim (prologus — o que se diz antes) e significa 1) o primeiro ato de um drama em que se representam acontecimentos passados antes da ação principal; 2) texto que antecede a parte principal de uma obra literária; 3) parte inicial de uma acontecimento.

O termo foi usado originalmente na tragédia grega, para caracterizar a parte anterior à entrada do coro e da orquestra, na qual se enuncia o tema da peça. Graças a essa ideia de “o que se diz antes”, o termo passou a ser usado na teoria narrativa para designar o texto que precede ou apresenta uma obra. Deste modo, podemos concluir que o prólogo sempre virá antes de qualquer elemento textual da história, por isso muitos autores também o chamam de paratexto. Vale lembrar ainda que prefácio e prelúdio são sinônimos de prólogo. O prefácio, neste caso, também tem um importante papel na relação do autor e do leitor — ou espectador — de uma obra. Sendo uma introdução a ela, se torna um elemento que apresenta não só a obra em si, mas também o olhar que tem o autor sobre ela.

O prólogo pode ou não ser uma parte da história. 
Mas como assim?
Calma, gente, eu já explico!

O uso mais comum do prólogo, é apresentar a história que se pretende contar ao leitor.  Lembram-se de “A menina de roubava livros”? No prólogo, Markus Zusak coloca o leitor em contato com a inusitada narradora, mas o mais importante nesse prólogo é que ele dá ao leitor um vislumbre da obra que se segue e do estilo de narrativa do autor.

Um autor pode usar o prólogo para mostrar uma cena que acontece antes da história propriamente dita começar, e com isso causar curiosidade no leitor. Esse tipo de prólogo é muito comum nos livros de Dan Brown. “O Símbolo Perdido” começa exatamente assim, durante um ritual misterioso, o autor nos apresenta ao vilão da história sem, contudo, entrar em muitos detalhes. 

Ele também pode mostrar uma cena adiante, uma espécie de clímax para o qual pretende levar sua história, como acontece em Crepúsculo.

Pois bem, meus caros amigos, nos exemplos acima, o prólogo é parte da história, mas nem sempre isso acontece. Há autores que preferem usar esse espaço preliminar para conversar com o leitor. Isso mesmo, uma espécie de tête-à-tête. Um escritor que gosta muito desse tipo de prólogo é o Stephen King. Em vários de seus livros ele usa o prólogo para contar ao Leitor Fiel algo relevante sobre a criação da obra em questão. Nos livros da série “A torre negra”, por exemplo, ele divaga tanto sobre o processo de escrita que, quando você vai começar a ler o livro propriamente dito, já se sente íntimo do autor.

Agora que nós já sabemos o que é um prólogo, para que serve e como aparece numa história, você deve estar se perguntando: como eu escrevo um prólogo para a minha fanfiction?

Em primeiro lugar, pondere sobre a relevância desse prólogo para a sua história. Será que ele é mesmo necessário? Lembre-se de que o prólogo é um elemento opcional, logo, se você quer apenas dar um ar profissional à sua fanfic, não vai ficar legal usá-lo. 

Segundo, o prólogo não deve ser tratado como o primeiro capítulo da fanfiction! Isso pode parecer óbvio depois de tudo o que nós já falamos até aqui, mas ainda há muita gente que se confunde e começa a história no prólogo. Isso não deve acontecer. O prólogo é um capítulo extra, deve ter começo, meio e fim determinados. Se você começar uma cena no prólogo, trate de terminá-la, nada de deixar para concluir no capítulo seguinte, com a ilusão de estar criando suspense. E nem pense em colocar a expressão “continua...” no final do seu prólogo. Prólogo não tem continuação.

Terceiro, não escreva a biografia dos seus personagens no prólogo. Você deve apresentar os seus personagens nos capítulos da história, mas também não faça isso como se estivesse respondendo o questionário socioeconômico do Enem.

Mas você disse que o prólogo pode ser usado para apresentar a história!

Sim, amigos, claro que pode, mas mirem-se no exemplo do Tio Zusak. Mostre seu personagem em alguma cena que possua significado para a história, mas não necessariamente faça parte dela. Ou ainda uma cena que possa desencadear os acontecimentos que serão o foco da sua história. Por exemplo: suponha que o seu protagonista seja um detetive de polícia e a história será centrada em um dos casos que ele tem que resolver. No prólogo você pode mostrar o momento em que os bandidos estão planejando o assalto.

Quarto, não entregue tudo no prólogo. Lembre-se de que você pode dar uma prévia do que virá, mas não vá mostrar uma cena do seu protagonista morrendo logo no prólogo, muitos leitores não gostam disso.

Finalmente, não escreva um prólogo com muitas palavras. Apesar de não haver um número ideal de páginas/palavras para um prólogo, não é legal fazê-lo muito grande, pois assim você corre o risco de já entrar na história, e vai estar tratando o prólogo como um capítulo normal. Opte por um prólogo enxuto, uma cena curta, mas que seja relevante para a história.

Bem, meus caros, espero que essas dicas possam ajudá-los em seus escritos.
Referências

Dicionário Priberam da Língua Portuguesa 
http://www.priberam.pt/dlpo/pr%c3%b3logo [consultado em 01-03-2014].
Wikipedia
OLIVEIRA, K. A. da S. As vozes do prólogo de Lazarillo de Tormes. FAAC/ PG-USP. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/espanhol/Anais/anais_paginas_%201005-1501/As%20vozes%20do%20pr%F3logo.pdf Acesso em: 21 mar 2014



Artigos relacionados

34 comentários

  1. Muito bom, muito bom, bom bom.
    Estava mesmo pensando em escrever um texto para explicar sobre Prólogo e Epílogo para compartilhar com os babys do Nyah, ae ae mas agora compartilhei esse aqui e tô feliz :D Já estou esperando do Epílogo. (se tiverem mandem para mim)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico contente que tenhas gostado! Não temos nada sobre Epílogos, mas vou adicionar às sugestões.

      Beijos

      Excluir
  2. Bem, não é como se eu tivesse dúvidas sobre isso, mas gostei do texto. Foi bem esclarecedor!

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho uma pergunta... Usando o seu exemplo, vou fingir que a história gira em torno mais de um romance doquê do caso em si: posso começar o prólogo com o detetive andando na rua, pensando sobre o caso, e termina-lo com o detetive chegando na sede da polícia? Ou isso está errado? E outra coisa: só se coloca prólogos quando se realmente precisa? Se for por causa de realmente precisar, colocar no prólogo uma cena que vai ocorrer um pouco antes do meio da fanfic, para deixar o leitor curioso ( como acontece no livro Como trair o herói de um dragão, Cressida Cowel ) está errado? Explica por favor :s

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se coloca prólogos só quando se percisa. Pode-se usar para deixar o leitor curioso, claro. Também podes usar uma cena que só acontece a meio da história, muita gente faz isso ;)

      Excluir
  4. Adorei :)
    Não costumo usar prólogo em minhas fanfics... Mas quando for usar, já sei exatamente como prepará-lo e desenvolvê-lo.
    Parabéns pelo artigo ^^

    ResponderExcluir
  5. Uma fanfic pode ter mais de um prólogo? Porque eu já algumas vezes coisas como "Prólogo 2" e fiquei curiosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não. Prólogo só há um. Normalmente, em fics, as pessoas fazem isso para subir as vizualisações e comentários, mas não é correto.

      Excluir
  6. Uma pequena dúvida: um livro/fanfic, etc. que tem prólogo não necessariamente precisa de um epílogo, sim?? O.o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, tal como uma história com epílogo não tem necessariamente que ter um prólogo :)

      Excluir
  7. Muito boa, essa matéria! Agora já sei bem como estruturar meu prólogo!

    ResponderExcluir
  8. Adorei se post. As vezes me assusto com os prólogos que vejo nas histórias. Li isso porque estou tentando escrever o meu Original e estava super indecisa sobre que cena colocar...Eu costumo colocar ou uma cena de preparação, como você falou, no prólogo. Mas gosto de colocar cenas sobre momentos que ainda irão acontecer, para os leitores verem o problema e depois tentarem descobrir como o personagem chegou até aquele momento...Bem, o post me ajudou bastante.

    Beijoos!

    ResponderExcluir
  9. É uma pergunta um tanto quanto idiota mas, quando vamos apresentar um "Prólogo", é escrito a palavra? Exemplo, quero escrever uma história que um garoto conhece uma fantasma, se eu quiser colocar como ela morreu no prólogo no início da história, eu escrevo "Prólogo: O dia estava frio, o vento soprava os cabelos de Ana, (Finja que escrevi um texto aqui) e, na frente de seu irmão, Ana estava morta."
    Tá tá, estou confundindo tudo, começamos o Prólogo escrevendo a palavra "Prólogo"?
    Espero que tenham entendido, heh...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não se deve usar a palavra "prólogo" assim. "Prólogo" seria o título do capítulo, em vez de "Primeiro Capítulo".
      Espero ter ajudado :)

      Excluir
  10. O prólogo de uma fic minha, narra um acontecimento passado da vida de um de meus personagens, mas eu não falo que é o personagem. É mais ou menos assim, eu narro o prólogo como se fosse um conto e o personagem do prólogo é um ursinho de pelúcia. A fic em si é com humanos! Pode isso?

    Acho que ficou meio confuso o meu comentário, mas espero que tenham entendido!

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem? Então, uma dúvida que pode estar no texto mas estou com um pouco de pressa neste momento: o AUTOR pode expôr opiniões sobre a história no prólogo? Por exemplo: "A curiosidade matou o gato.
    Sim, de fato isso aconteceu. Mas nesta minha história quem morreu não foi o gato. [insira o resto aqui]" Ah, a história é em 3º pessoa.

    ResponderExcluir
  12. 1° Eu posso colocar subtítulo no prólogo? Ex. eu começo minha história assim: "Prólogo" e logo abaixo "A paladina, o ladrão e o caçador de recompensas".

    2° Você mencionou que não se deve colocar a biografia de um personagem no prólogo, mas se for algo breve, afinal posso apresentar o personagem.
    No caso quero apresentar estes três personagens no prólogo e descrevo duas cenas (uma breve e uma longa), onde apresento os três e eu faço meio que uma biografia de um deles para explicar como foi parar no local descrito, mas não chega a ser uma longa biografia, apenas algo breve dentro da explicação do mundo que estou descrevendo, meio que vou contando como ela foi parar lá descrevendo o mundo fantasioso aonde a história se passará. não será curto umas quatro páginas mas eu já vi prólogos bem cumpridos, maiores do que pretendo fazer.

    Se puder me orientar, sou grato!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vou passar as tuas perguntas para o autor deste post e em breve deves ter uma resposta. :)

      Excluir
    2. Aqui está a resposta do autora do texto:
      "Olá, Jair,
      1) Pode, sem problemas.
      2) Aí também tá ok. Você pode apresentar o personagem (ou mais de um, no caso), no prólogo. O que não ficaria legal, acho, seria fazer apenas um relato biográfico da vida dele, entende? Tipo, você coloca as informações de maneira contextualizada, e se você aproveita também para mostrar um pouco do ambiente onde acontece a história, ainda melhor. Quanto ao tamanho, não se preocupe, porque não existe uma regra sobre o tamanho ideal do prólogo. Em geral, são capítulos menores, até porque trata-se de uma introdução à história. E também por ser um capítulo que deve ter começo e fim, sem deixar nada para ser mostrado depois (assim, você não deve começar uma cena no prólogo e terminar no outro capítulo, né?); então acho que 4 páginas não tá fora dos eixos, também já vi prólogos bem longos.
      Espero tê-lo ajudado. Abraços"

      Excluir
  13. Olá!

    Precisa citar o protagonista no prólogo? Vamos supor, a estória trata-se sobre uma epidemia mortal e o mocinho ciclano vai lá e tenta descobrir a cura. Aí no prólogo eu falo sobre a doença e depois da indiferença da humanidade em relação ao primeiro caso e concluo o prólogo com o arrependimento das pessoas por terem desdenhado de algo que acharam ser insignificante, mas que levou o mundo ao caos. Como pode ver, eu não falei sobre quaisquer personagens (principais ou não), apenas da doença e da humanidade (algo que não vai ser tão abordado na estória, mas que é importante para que os leitores a entendam). Isso está certo? A minha verdadeira produção tem esse ritmo, mas aborda outro assunto. É a primeira vez que faço um prólogo e estou insegura sobre ele, só entrei nessa onda, porque não achei que esta estrutura (similar a do exemplo) ficaria bem no primeiro capítulo.

    Aguardo sua resposta. Desde já, agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      A meu ver, acho que não há problema nenhum em fazer um prólogo assim. Por vezes, acho que até é melhor dar esse conhecimento da história antes do/a leitor(a) a começar a ler, uma vez que torna mais fácil de entender o universo da história.
      Espero ter ajudado.
      Beijos

      Excluir
  14. Pergunta.

    Eu posso escrever um prólogo com um acontecimento futuro? Exemplo, a fanfiction é escrita com acontecimentos passados, e no prólogo eu posso colocar um acontecimento futuro dali para que as pessoas fiquem com curiosidade de descobrir como aconteceu?

    ResponderExcluir
  15. Oi! Eu tenho um livro sobre fanfics no Wattpad e citei uma coisa que você disse aqui, te dando os devidos créditos! A fanfic se chama Como Fazer Uma Boa Fanfic, está no meu perfil: wattpad.com/fakedoluke xxx

    ResponderExcluir
  16. Meu prólogo era quase que só sobre quem era minha personagem. Estou apenas começando a pesquisar, mas agradeço muito pela dica! ;)

    ResponderExcluir
  17. Olá! Queria esclarecer uma dúvida.
    Eu tenho uma fanfic já pronta, e atualmente estou escrevendo os capítulos dela.
    No prólogo, eu queria saber se é possível eu colocar os acontecimentos da sinopse. Por exemplo:

    "João é um menino que depois de ter ido a padaria comprar pão, se depara com um dinossauro das trevas que rouba as suas compras e depois foge. João então, contata o seu melhor amigo, o Super Secundário, e ambos criam a nave Padaria 122, e com ela, irão a procura do dinossauro maligno e recuperar as compras roubadas"

    No primeiro capítulo, eu apresentaria os personagens na situação exata em que a sinopse os colocou: Procurando o dinossauro utilizando a nave.
    Assim, no prólogo, eu irei contar exatamente o que acontece na sinopse, porém com mais detalhes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Então, é um bocado difícil dar-te uma resposta concreta só a ler este cenário, mas creio que podes fazer isso. Tem só cuidado para não ficar muito repetitivo, porque isso poder tornar a leitura cansativa.

      Excluir

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.