O desenvolvimento de uma história como quebra-cabeças

segunda-feira, 20 de outubro de 2014


Por: Takahiro Haruka

Que há gosto para tudo, todos nós sabemos. Mas quem é que não gosta daquelas histórias em que você se pergunta: o que vai acontecer depois disso?

Eu sou a Noni, e nosso assunto de hoje é exatamente esse: O desenvolvimento de uma história como quebra-cabeça.

Acompanhar uma boa história nos dá aquela sensação deliciosa, além, é claro, da expectativa por mais. Mas o que é que consegue esse efeito de "prender" o leitor? Bem, podemos dizer que há vários elementos, como a espera pelo romance, os personagens cativantes e os vilões marcantes. Não há um só elemento, mas sim um conjunto de fatores que atraem o leitor. E um deles, sem dúvida alguma, é o famoso "perguntas sem respostas".

Investir em falsos "furos" no enredo pode causar um bom efeito na trama. Os roteiristas de novelas apostam muito nesse modelo. No início é jogada uma enxurrada de informações em cima do espectador: personalidade distorcida, segredos complicados, sentimentos guardados no fundo do coração. O segredo é instigar e surpreender. Mas como fazer isso?

Para começar, é necessário entender que os furos no enredo devem ser propositais. A informação não foi colocada ali de propósito. O melhor seria criar um plot onde seria colocado que, em tal capítulo o assunto foi instigado, em tal capítulo foi citado, em outro foi desenvolvido e em outro resolvido. Plots são muito bons quando a intenção do autor é deixar coisas subentendidas. É uma ótima ferramenta. Mas tem autores que funcionam muito melhor sem plot. O importante é que o autor tenha total ciência dos pontos em aberto na história. Utilizar plot não é obrigatório, é por uma questão de organização de ideias.

Organização de ideias, achei a expressão correta. Para conseguir desenvolver um suspense, e não estou dizendo uma história desse gênero, e sim uma situação onde algo fica pendente, é necessário organizar perfeitamente cada detalhe. Se uma porta se abre, ou um novo personagem aparece, é tudo planejado. Ele pode ser o assassino da mocinha ou pode ser o espião do vilão. Cada detalhe é colocado para levar à resolução do mistério. Deixar coisas no ar ou simplesmente mal resolvidas vai levar os seus leitores a continuarem lendo a história.

Podemos dizer, então, que é quase um truque psicológico. O ser humano é curioso por natureza. Às vezes lemos um livro ou assistimos a um filme simplesmente porque algo no início nos deixou instigados. Uma pequena informação, um personagem que teve pouca participação. Não importa o que for, o segredo para criar uma história geniosa e que prenda o leitor é saber exatamente quando, onde, como e por que algo foi feito ou deixou de ser.

Ou seja, usem e abusem do suspense, do mistério e da ferramenta de informações subentendidas. Escrevam a cena uma, duas vezes. Consultem amigos, perguntem o que eles acham, pesquisem sobre o assunto na internet ou em livros. Quanto mais conhecimento e experiência, mas fácil será criar um enredo criativo e que prenda a atenção do leitor nos pontos-chave.


É isso aí, galera. Espero que essas dicas possam ajudá-los.



4 comentários:

  1. Muito útil para todos os escritores iniciantes!Vou utilizar muito e creio que muitos outros que pensam em escrever,também!

    ResponderExcluir
  2. Adorei as dicas! Escrevo histórias a um tempo mas só agora resolvi posta-las :3
    Com certeza vou usar essas dicas, estou adotando o blog ~('-'~)

    ResponderExcluir

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.



As imagens que servem de ilustração para o posts do blog foram encontradas mediante pesquisa no google.com e não visamos nenhum fim comercial com suas respectivas veiculações. Ainda assim, se estamos usando indevidamente uma imagem sua, envie-nos um e-mail que a retiraremos no mesmo instante. Feito com ♥ Lariz Santana