Sentimentos x Linguagem Corporal

Por: Kill Joys Perfil: http://fanfiction.com.br/u/89732/              Ei, ei, ei, gente, tudo bem? Aqui é a KILL JOYS de nov...


Por: Kill Joys
Perfil: http://fanfiction.com.br/u/89732/

             Ei, ei, ei, gente, tudo bem? Aqui é a KILL JOYS de novo! Não, eu não me canso de vir aqui conversar com vocês, HUESHUD. E hoje, em especial, vim falar com vocês sobre um assunto bem complicado: como conciliar os sentimentos da personagem com sua linguagem corporal.

            Primeiro, é importante entendermos o que é a linguagem corporal. Esse é um dos termos que todos nós temos um pouco de noção do que se trata, mas sem ter nada muito concreto. Por isso, vamos a algumas definições para tirarmos essa expressão do senso comum.

Linguagem corporal: linguagem não verbal, que abrange gestos, olhares, expressões faciais, postura e proximidade do locutor com o interlocutor. Todo o tipo de comunicação proposital ou intuitiva, que exprime algum pensamento ou traço de personalidade.

            Com isso, conseguimos perceber que quase tudo que fazemos no dia a dia, até mesmo sem perceber, faz parte da nossa linguagem corporal. Por isso, é preciso tomar extremo cuidado com as expressões que as nossas personagens fazem. Isso representa mais a personalidade do que as descrições.

            Por isso, o primeiro cuidado que devemos tomar é de pensar bem a personagem e suas cenas previamente, antes de escrevê-las. Ao definir bem os sentimentos de cada um e alguns detalhes do enredo, encontrar uma maneira de conciliar ambas as coisas é bem fácil. Acho que esse tema é difícil de entender sem um bom exemplo, não é mesmo? Então vamos a ele:

            Imagine que sua personagem é uma garota bem extrovertida, que acabou de chegar à escola nova. (Sim, sei, exemplo bem comum, mas é dos que mais ajudam na compreensão :3) Essa aluna é alegre, faz amizades rapidamente e é extremamente divertida.

            Se a primeira cena dela é na escola, fazendo sua apresentação para a turma a qual vai entrar, é importante que você demonstre pela expressão corporal um pouco da sua personalidade. Narre um sorriso alegre, uma voz melodiosa e movimentos leves, porém chamativos. Por ser uma pessoa extrovertida, faça-a encostar-se a alguém ao conversar, gesticular, caretas e falar alegremente.  

            A maior parte dos escritores, ao relacionar sentimentos e linguagem corporal, comete o erro de falar o que é que a personagem está pensando, as emoções e até mesmo a personalidade várias e várias vezes. Ao criar uma personagem apaixonada, por exemplo, você não precisa explicitar todas as vezes que ela está apaixonada. Alguns autores repetem essa informação sempre que a cena pedir, deixando a narrativa cansativa. O certo é incorporar aos poucos essas informações no texto, de modo a que o leitor consiga perceber os sentimentos por conta própria.

            Sendo assim, muitas frases como “ela estava completamente apaixonada e por isso não ficava com vergonha.” podem ser substituídas por uma linguagem corporal que exprime a mesma ideia, como “ela olhou para baixo, envergonhada, com o coração acelerado.”

            Pode parecer bobagem e detalhes minimalistas esse tipo de construção, mas acredite, isso ajuda a construir a personagem e a cena na cabeça do leitor. Fica mais fiel à realidade e é mais confortável prosseguir a leitura dessa maneira.

            Outra dica importante é perceber as pessoas à sua volta, como são as linguagens corporais delas e os sentimentos ou personalidade que elas passam com isso. É, um pouco esquisita essa dica, não? Mas acredite: funciona. Observar como as pessoas à sua volta agem é uma das atividades que os escritores costumam fazer, para dar mais verossimilhança à história. Até mesmo porque nada mais parecido com a realidade do que a própria realidade, certo? Por isso, prestem atenção na sua rotina, inclusive em si mesmos, para melhorar a construção das personagens.

            Claro, também vale a dica que a maioria dos professores e autores mais amam: leiam. Ler ajuda indescritivelmente a perceber como a linguagem corporal está completamente relacionada ao sentimento da personagem. Ler te faz enxergar o que um leitor precisa para compreender e participar da história em questão. Aos poucos, você vai usando de técnicas que absorveu na leitura na sua própria escrita, sem mesmo perceber.

            Conciliar os sentimentos e a linguagem corporal da personagem não é tão difícil quanto parece, se você prestar atenção e tiver cuidado ao fazer a construção da cena. É um assunto que requer carinho para se tratar sobre, mas não é nada impossível, certo?

            Qualquer dúvida, estamos à disposição.

            Até a próxima!



Fontes consultadas:





Artigos relacionados

4 comentários

  1. Fantástico! Essas dicas me ajudarão e muito a evoluir meus textos e minhas histórias.

    Mudando um pouco de assunto, existe uma previsão para a segunda parte de "Como criar um mundo em (talvez mais que) seis dias" e a terceira parte de "Gêneros polêmicos"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que eu saiba, ainda não existe nenhuma previsão de quando os posts vão sair, mas fica atento ;)

      Excluir
  2. O correto é: "ela estava completamente apaixonada e por isso ficava com vergonha". Observe o trecho abaixo e veja como está com erro:

    "Sendo assim, muitas frases como “ela estava completamente apaixonada e por isso não ficava com vergonha.” podem ser substituídas por uma linguagem corporal que exprime a mesma ideia, como “ela olhou para baixo, envergonhada, com o coração acelerado"

    ResponderExcluir
  3. Tenho realmente dificuldade em expressar ciúmes em um personagem.

    ResponderExcluir

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.