Gênero - Distopia

Por Ironborn (Liga dos Betas) Perfil: http://fanfiction.com.br/u/54453/ “ O Grande Irmão está observando você. ” — George Orwell, 1...


Por Ironborn (Liga dos Betas)
O Grande Irmão está observando você.” — George Orwell, 1984

Você já deve ter escutado sobre utopia, seja em músicas ou livros. Ora, a utopia pode ser creditada como o objetivo de muitas pessoas; isso porque a palavra designa a existência de um sistema perfeito, onde a felicidade está nas mãos de todos os cidadãos e não existe qualquer tipo de problema político, econômico e social. Porém, o gênero que destaca-se é o “inimigo” da utopia: a distopia.
Então vamos começar com a definição: Um universo imaginário e/ou futurístico que o controle opressivo sobre a sociedade e a ilusão de sua perfeição são mantidos através de um controle corporativo, burocrático, tecnológico, moral ou totalitário. Distopias, apesar de serem um cenário pessimista exagerado, criticam uma tendência atual, norma social ou sistema político.
Ou seja, as distopias são geralmente caracterizadas pelo totalitarismo, autoritarismo e pelo opressivo controle da sociedade (essas características não precisam, necessariamente, coexistir na história). Nelas, "caem as cortinas" e a sociedade mostra-se corruptível; as normas criadas para o bem comum mostram-se flexíveis. A tecnologia é usada como ferramenta de controle, seja do Estado, seja de instituições ou mesmo de corporações. Algumas têm cidadãos vivendo desumanizados e constantemente temerosos, sentindo os olhos do governo sobre eles a cada passo e com medo de “pisar fora da linha” por uma mínima fração de segundo, porque podem ser brutalizados pela polícia — ou pior, levados embora pelo serviço secreto. Outras distopias são/estão, na verdade, disfarçadas de utopias, com seus problemas (geralmente sociais) sendo cada vez mais jogados “debaixo do pano” até o momento em que explodem como a lava de um vulcão. Existem aquelas em que apenas uma maioria é brutalmente reprimida — e qualquer coisa pode demarcar uma minoria, como por exemplo, ler livros. A utopia de um homem pode facilmente ser a distopia do outro.
A maioria dos trabalhos de ficção distópica passa-se no futuro, mas isso não é regra. Algumas histórias podem se passar em universos alternativos, mudando fatos que ocorreram no passado. Exemplo simples: um universo em que a Alemanha Nazista foi a grande vencedora da Segunda Guerra Mundial poderia facilmente acontecer em 1980.
Para facilitar a construção da história, a distopia é divida em vários tipos, onde dois ou mais podem — e devem — existir na mesma história.

Distopia Totalitária

Como o próprio nome já diz, refere-se a uma sociedade que é totalmente controlada pelo seu governo, através de ideologias. Os cidadãos são monitorados de perto e qualquer fagulha de revolta é punida severamente. E como podem perceber, essa distopia não acontece só em livros e filmes, fique ligado!

Distopia Cyberpunk

Uma distopia cyberpunk é, geralmente, uma versão exagerada de nossa própria sociedade. Apesar de ser um gênero heterogêneo, a maioria das distopias tem os seguintes temas: a aceleração da evolução tecnológica, o iminente colapso ambiental, a urbanização alcançou novos níveis e os crimes fora de controle. Também é importante ressaltar que o conceito de cyberpunk é a cibernética. Melhorias artificiais no corpo, na mente, no cyber espaço, na internet. Geralmente são histórias violentas.


Distopia Off-World

Visa cobrir todas as distopias localizadas num espaço exterior. Nessas histórias a exploração do homem sobre o universo não se tornou uma aventura feliz como esperado. Colonização de planetas, industrialização pesada, guerras interestrelares entre civilizações distantes são características deste gênero, que tem possibilidades quase ilimitadas.

Distopia Apocalíptica

A humanidade, ou às vezes uma única nação ou um grupo étnico, estão enfrentando um Armageddon, seja ele uma guerra nuclear, queda de meteoritos gigantes, desastres naturais ou um vírus que transformam pessoas em zumbis. O foco principal pode ser político, no entanto, histórias apocalípticas podem expor a psicologia obscura do homem. As vítimas do apocalipse podem ser egoístas, cínicas e oportunistas, mesmo no momento da aniquilação.

Distopia Pós-Apocalíptica

A causa é a guerra nuclear, o colapso ambiental ou epidemias mortais. O efeito é geralmente a anarquia e a sobrevivência do mais apto, e uma regressão ao feudalismo também. As histórias que acontecem na distopia pós-apocalíptica são aventuras de ação simples, com pouca profundidade.

Distopia Alienígena

A Terra foi ocupada ou infiltrada por outra espécie de algum sistema solar distante. Em muitas distopias alienígenas, os ocupantes quase sempre exibem uma grave falta de empatia e tendem a tratar os seres humanos como escravos sem valor e animais primitivos. Um dos pontos fortes da distopia alienígena são as maneiras inteligentes e criativas para falar dos choques culturais. 

Distopia pseudo-utopia

Sua utopia pode ser minha distopia e vice-versa. Criadores de utopias muitas vezes têm uma imagem muito clara do seu paraíso pessoal e não gostam de pessoas que se atrevam a criticar suas paisagens oníricas. Muitas das chamadas utopias são estritamente hierárquicas. A classe dominante é uma elite intelectual com poder absoluto e os dissidentes são ameaçados com desdém, ou até mesmo crueldade. Os inimigos são tratados sem piedade, quase sadicamente. Tecnicamente, a maioria das utopias pertence a essa categoria.

Distopia de Viagem no Tempo

Nestas histórias as trevas estão esperando: guerra nuclear, inteligência artificial, colapso ambiental, pragas etc. Na maioria das histórias de viagem no tempo, os agentes são enviados para o nosso tempo a fim de mudar a história. Como o nome sugere, distopias de viagem no tempo costumam se concentrar mais em como certos eventos podem mudar a história. O objetivo é brincar com o nosso medo do futuro e enfatizar que nós podemos criar o nosso próprio amanhã.

Além disso, todas essas categorias possuem as seguintes características em comum:

1. Conteúdo moral, projetando o modo como os nossos dilemas morais presentes figurariam no futuro.
2. Oferecem crítica social e apresentam as simpatias políticas do autor.
3. Exploram a estupidez coletiva.
4. O poder é mantido por uma elite, mediante a somatização e consequente alívio de certas carências e privações do indivíduo.
5. Discurso pessimista, raram
ente "flertando" com a esperança.
6. Violência banalizada e generalizada.

A dica para criar uma distopia é escolher um problema sociopolítico — ou melhor, vários deles — e levá-los ao extremo. As melhores distopias são aquelas em que uma porção de coisas deu errado, e agora aqui estamos, sobrevivendo com tanta graça quanto é possível.
Você deve decidir sobre o governo dessa sociedade. É uma ditadura fascista? Na maioria das vezes sim, não isso não ocorre sempre. Pode ser que um pequeno grupo de pessoas governe um país com punhos de ferro. Que leis essa sociedade tem? Seus cidadãos são constantemente monitorados? As pessoas são autorizadas a reproduzir normalmente ou bebês crescem em fábricas? A escolha é sua.
Quem é o herói da sua história? Os heróis da ficção distopiana geralmente são aqueles que querem escapar de sua sociedade corrompida e estão sempre sendo seguidos pelas autoridades.
Como esse mundo surgiu? Quem o fundou? Essas são algumas das questões que você terá que responder antes de iniciar sua história.
Boa sorte e divirta-se!

Referências:
Dystopias: Definition and Characteristics 
Acesso em: 01/03/14
Distopia: Características principais
Acesso em: 02/03/14
Dystopia
Acesso em: 04/03/14
So You Want To: Write A Dystopia
Acesso em:04/03/14
Entendendo o gênero distopia

Artigos relacionados

10 comentários

  1. Eu estou completamente apaixonada por esse site *risos*
    Estou pensando seriamente em escrever uma fic e o blog já deu VÁRIAS dicas super úteis
    Enfim, vim aqui agradecer pelo ótimo trabalho e dar os parabéns *risos e palmas*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Nós tentamos ajudar toda a gente e gostamos de o fazer!

      Beijos

      Excluir
  2. A minha distopia é definitivamente Apocalíptica. Nos primeiros capítulos até envolve um pouco a organização governamental e menciona a corrupção, mas ao final, a humanidade acaba sendo dominada por uma organização terrorista. O que eles fazem? Transformam todos os que encontram pela frente em bestas-fera através de mutação. É, louco XD
    Fiquei feliz pela minha estória finalmente se encaixar num gênero, sinal de que estou num bom caminho.

    ResponderExcluir
  3. O gênero que estou escrevendo é pós-apocalíptica. Tipo alguns anos depois de um vírus zumbi e guerras pra conte-lo terem dizimado quase toda humanidade, restam apenas alguns grupos com centenas e alguns milhares de sobreviventes no mundo, esses grupos mantem contato por rádio e telefone pois vivem no que eram bases do governo mas não podem se ajudar e a maioria ta em continentes diferentes, a história foca num grupo no Brasil que calcula com ajuda de alguns cientistas que estudam o vírus que a maioria dos zumbis já pereceram sem alimento, então enviam alguns soldados para investigar isso, mas o que estes soldados acham é totalmente o oposto, eles encontram multidões e multidões de zumbis, sem a menor ideia de como eles ainda existem e tem de lutar pra que a praga não assole seu grupo novamente.
    Então é pós-apocalíptica com objetivo de evitar uma nova distopia apocalíptica kkk. A crítica é leve, mas trata do tema de que a natureza numa tentativa de conter a destruição que os humanos estavam fazendo sobre a terra fez surgir esta praga viral pra matar a humanidade. O livro também mostra muito que a natureza e tudo continua a existir perfeitamente bem mesmo sem a menor influencia humana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece-me ser uma história muito interessante! Desejo-te toda a sorte com ela :D
      Beijos

      Excluir
  4. A minha distopia é apocalíptica.
    Depois de um vírus zumbi dizimar grande parte da população mundial,os sobreviventes ricos e funcionários do governo fugiram para abrigos no meio da floresta chamados de bunkers,e lá os cientistas estavam tentando desenvolver uma cura para a doença.Para isso, eles enganavam, ou melhor "sequestravam" alguns pobres sobreviventes que restaram das cidades e usavam eles como cobaia para cura.Aí, um grupo insatisfeito com o governo, vai tentar derrubar esse sistema dos "bunkers" e resgatar todos os sequestrados das cidades.Mas tipo, a história se passa apenas meses depois da catástrofe, então é uma distopia apocalíptica. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é o meu género de história, mas parece ter um bom enredo. Desejo-te toda a sorte com ela!
      Beijos

      Excluir
  5. Opa, esqueci de um detalhe sobre meu comentário:
    A história se passa nos EUA, no ano de 2030. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Considera a minha resposta ao teu primeiro comentário. Boa escrita!

      Excluir

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.