Como fazer uma boa descrição

Por: KILL JOYS Perfil: http://fanfiction.com.br/u/89732/             Bom dia, boa tarde, boa noite! Aqui é a KILL JOYS novamente....


Por: KILL JOYS
Perfil: http://fanfiction.com.br/u/89732/

            Bom dia, boa tarde, boa noite! Aqui é a KILL JOYS novamente. Como estão? Espero que aproveitando a copa tanto quanto eu estou para colocar as fanfics em dia, HEUEHUEH. Bom, hoje vim falar com vocês sobre um assunto de, provavelmente, muito interesse de vocês: como fazer uma boa descrição.

            Antes de falar especificamente sobre os diferentes meios de se descrever, deixo aqui a dica que acredito ser a mais importante para qualquer tipo de prosa: escreva se lembrando de que alguém vai ler.

            É, parece bobagem falando assim. Lembrete óbvio, não, dona KILL JOYS? Não, não é. Muitas vezes nós escrevemos pensando apenas na nossa perspectiva de autor e não nos lembramos de que, quem está lendo, não está dentro da nossa cabeça para entender tão bem a história. E essa dica vale para o modo de narração, para a organização das cenas, distribuição das falas e, no caso do nosso post, para a descrição.

            Navegando na internet sobre esse assunto, achei uma definição para descrição que vale ser citada aqui:

“Descrever é representar, por meio de palavras, as características de seres e objetos percebidos através dos sentidos. O objetivo da descrição é transmitir ao leitor uma imagem daquilo que observamos. É como compor um retrato por meio de palavras, fazendo com que o leitor perceba as características marcantes do ser que estamos descrevendo e de modo a não confundi-lo com nenhum outro.”

            Desse modo, descrever é enumerar características das cenas, dos sentimentos, dos seres inanimados e animados de sua história. Por isso é importante ter sempre em mente que o leitor não sabe nada do enredo ou dos personagens. Devido a isso, temos três grandes dicas acerca desse assunto.

            A primeira dica que vos dou sobre uma boa descrição é não fazê-la de modo excessivamente e de uma vez só. Muitas vezes os autores têm o costume de escrever todas as características do personagem principal logo no primeiro capítulo, nos primeiros parágrafos. Mal você começa a ler e logo já vêm mil e uma características: Vitor era loiro de olhos verdes, bem alto, magro, corpo definido (uma vez que fazia academia todos os dias), tinha um sorriso lindo, dentes extremamente brancos e sempre fazia todas as garotas se apaixonarem por si. Ao terminar de ler essa frase, a primeira coisa que a maioria pensa é: ufa.

            Além de ser cansativo, o leitor não absorve todas as características de uma vez só. No fim do capítulo, se houver a descrição dessa maneira de todos os personagens, é difícil para quem está lendo saber reconhecer quem é quem. Por isso, o mais interessante é fazer esse trabalho aos poucos. No caso do exemplo anterior, comece falando das características gerais primeiro – cor dos cabelos, dos olhos. Fale um pouco sobre o sorriso no primeiro parágrafo ao comentar que Vitor sempre fazia todas as garotas se apaixonarem. No parágrafo que você for contar da academia, comente sobre o corpo, a estatura. Assim, pouco a pouco, o leitor vai criando e fixando a imagem do seu personagem na mente.

            A segunda grande dica a respeito desse assunto é fazer uso das inúmeras ferramentas que a língua portuguesa nos oferece. Poucas maneiras são melhores do que fazer uma descrição que não seja uma boa comparação ou metáfora. Se for uma caracterização de alguma emoção, aí qualquer figura de linguagem é muito mais que bem-vinda. Procure no dicionário sinônimos para substituir as palavras já consideradas clichês. Faça frases nominais. Tudo isso ajuda muito.

            Vejam só a diferença:

            A frase “disse com sua voz suave, e seus lábios abriram um grande sorriso.” Poderia ser reescrita em algo parecido, porém com mais descrição, “Sua voz aveludada saiu de seus lábios sobejamente atraentes e eles se abriram em um riso sem som.”.

            Ou até mesmo frases bobas como “seus dedos estavam frios” podem ter outra cara com palavras diferentes, “seus dígitos estavam gélidos”.

            E, por incrível que pareça, a pontuação também ajuda a melhorar a descrição, porque muda a maneira de ler. Na frase “Naquele reino, a situação era de miséria, já que havia mulheres desesperadas, crianças famintas e homens doentes”. Ao mudar a pontuação, damos outra cara para a cena: “Mulheres desesperadas. Crianças famintas. Homens doentes. A situação naquele reino era de completa miséria”.

            Descrever, além de facilitar a imaginação, deixa o texto mais a cara do autor. O modo em que a caracterização é feita é uma das assinaturas mais perceptíveis de um autor dentro da história.            

            Por último e não menos importante, a terceira dica: escolha a descrição que combine mais com seu texto. Se seu texto for narrado em primeira pessoa e a personagem for emotiva, o melhor é fazer uso de muitas figuras de linguagem, como em “A Menina que Roubava Livros”. Se for um sociopata narrando, por exemplo, não economize na descrição. Algumas histórias não têm uma descrição muito detalhada, mas se encaixam perfeitamente com o enredo – o melhor exemplo disso é “Senhor dos Anéis”.

            Bom, acho que é isso. Tenha em mente essas três dicas e preste muita atenção na maneira em que você está levando a história, que logo você encontrará seu próprio jeito perfeito de descrever. Qualquer dúvida, estou a dispor.

Fontes:

Artigos relacionados

2 comentários

  1. Oi, tudo bem?
    Acompanho o blog já faz bastante tempo e realmente tem me ajudado a melhorar muito a minha escrita. Bom, eu tenho uma dúvida cruel.

    Estou pensando em escrever uma Fanfic com o gênero Musical (Songfic), onde um grupo de pessoas formaram uma banda, ai que entra a dúvida:

    Como estruturar a canção? Apenas a coloco e mostra quem está cantando com [] ou devo mostrar os movimentos dos personagens enquanto estão cantando?

    Serão seis pessoas em um palco, qual seria a melhorar forma de se fazer isso, sem deixar de descrever as coisas e deixar sem emoção.

    Se puderem me ajudar, ficarei agradecido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Infelizmente, eu não te consigo ajudar muito neste aspeto, uma vez que só te poderia sugerir qual é que seria a melhor maneira de agires nestes momentos se conhecesse a escrita, a história, etc., até porque a estratégia que usas pode variar dependendo do que está a acontecer na história. Desculpa não te poder ajudar.
      Boa sorte!

      Excluir

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.