Quer Publicar seu Livro? Pergunte-me Como [4] - Book Proposal e Agentes Literários

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Por: MicheleBran
Perfil: https://fanfiction.com.br/u/5389


Cá estamos nós de novo, dessa vez para aprender um pouco mais sobre como entrar em uma editora pela porta da frente.

De qualquer forma, independentemente do tamanho da editora em que você vá trabalhar, poucas são as que virão até você. A maioria delas, você vai ter que correr atrás, então fica ligado para não comer mosca e fazer besteira: muitas editoras pedem carta de apresentação, mini-currículo e/ou uma book proposal. Não consegui encontrar um termo em português que se encaixasse direitinho para este último nome, mas basicamente é uma proposta comercial de publicação que você vai fazer para a editora. A famosa “venda do peixe”.

Outras apenas aceitam mediante intermediação de um agente literário, mas calma que falaremos, ao menos resumidamente, de tudo isso.



Redigindo seu mini-currículo:


 É o mais simples dos três. Basta fazer um pequeno texto sobre você, informando nome, idade, cidade, outras publicações (caso tenha), etc.

Não precisa se estender muito, desde que essas informações importantes estejam lá. É como uma pequena apresentação de você para o editor.


Redigindo uma carta de apresentação:

 Agora vamos um pouco mais além. Faremos um textinho mais elaborado e com mais detalhes, pois, além de se apresentar enquanto escritor, você precisa falar um pouco sobre os itens listados a seguir:

1) Motivo pelo qual escreveu este livro: razão pela qual você se dispôs a escrever e se dedicar tanto a esta história em especial.

2) Breve pesquisa de mercado: exponha quem é seu público alvo (também trataremos disso em um post futuro), principalmente em termos de idade, gênero e preferências de leitura.

3) Demonstre que sabe que a editora publicou ou tem interesse em publicar material semelhante: lembre-se de que você precisa pegar a editora correta, certo? Aqui é hora de mostrar que você não simplesmente saiu mandando aleatoriamente seu livro para todas a editoras que apareceram na pesquisa do Google. Listar isso vai demonstrar seu interesse pela empresa e que você fez a lição de casa direitinho pesquisando sobre ela.

4) Sua pesquisa ou conhecimento sobre o assunto do livro: liste todo o material que serviu de referência na pesquisa e criação de seu trabalho.

5) Pequena demonstração de sua rede de contatos: aqui você deve mostrar justamente o que falei lá em cima sobre criar uma plataforma e se alavancar como escritor antes de tentar a publicação. Hora do show-off. Mas atenção: nada de falsificar números, certo? Mostre apenas o que você REALMENTE tem.

6) Capacidade de se expressar bem e na língua em que a editora publica: aqui você vai mostrar que sabe escrever de forma clara e concisa, com sentido e no idioma da editora (caso queira tentar na gringa). Aqui eles avaliarão o geral do seu texto: nível de português, clareza da mensagem, coesão das ideias, etc.

Lembrete: Quanto mais pessoal for sua carta de apresentação, melhor. Ou seja: use exemplos que encontrar na internet apenas como base, mas redija seu próprio texto de forma que as ideias estejam concatenadas direitinho, de forma clara, sem repetições e erros gramaticais ou ortográficos, etc. (escreva como se estivesse no ENEM rs); mas de forma que mostre quem você é, sua personalidade e seu jeito de ser.


Redigindo sua Book Proposal:

 O buraco é mais embaixo, agora. Pode preparar os dedos para digitar para caramba. Em resumo, o “book proposal” vai seguir uma linha bem semelhante à da carta de apresentação, mas vamos nos aprofundar um pouco mais. Preparados? Alonga os dedos e vem:

1. Título do livro: acho que não precisa explicar, né? rs;

2. Dados do autor: aqui você fala um pouco sobre você. Idade, onde mora, formação, etc;

3. Resumo do livro em uma frase: basicamente, é como se você estivesse fazendo uma frase de efeito para colocar na capa. Crie algo bem chamativo ou use uma frase de impacto que resuma bem sua obra. Quanto mais misterioso melhor, assim você fisga a atenção do editor;

4. Sinopse: sinopse para o leitor que deverá ficar na contracapa do livro. Aqui você deve dar o seu melhor para provar que sabe fazer um bom resumo capaz de vender sua obra; 

5. Informações do autor: essas também serão para o leitor, naquela parte da contracapa em que normalmente temos a foto do autor com informações sobre sua vida. Vale listar não só sua vida, mas também eventuais prêmios que já tenha ganhado, outros livros publicados (se houver), etc. Só não vale mentir. Apenas liste o que realmente conseguiu, por motivos óbvios, rs;

6. Plano de Marketing: aqui você deve expor toda sua rede de contatos e de quais plataformas tem para divulgação da obra. 

7. Análise comparativa: outras obras que se assemelham ao seu livro. Aqui você deve mostrar suas referências, obras da mesma temática que costuma ler e aproveitar para mostrar que seu livro tem espaço no mercado;

8. Detalhes técnicos: aqui você vai mostrar ao editor dados bem específicos sobre seu livro, como quantos caracteres e páginas ele tem, qual o tamanho dos capítulos e quantos são, qual o público-alvo e sua faixa etária, etc;

9. Resumo Pontuado: exatamente o que você está pensando. Você precisará resumir seu livro capítulo por capítulo. Além disso, deve listar os elementos presentes nele, como você apresenta os personagens, viradas de enredo, clímax, toda a sequência de acontecimentos que levam ao fim do livro; incluindo explicações e razões de por que você esconde determinadas informações para revelá-las posteriormente e quais são elas, e como você pretende manter o leitor interessado até a última página.

Ou seja: boa sorte na book proposal. Vai precisar, hahaha.


Agentes Literários: O que são? Para que servem? Onde se escondem? Com qual entidade é necessário fazer pacto para conseguir um?


O agente literário é o profissional que vai te dar uma mãozinha com todo o processo de produção e publicação do livro, desde te ajudar a conseguir o registro da BN até apresentar seu material para uma editora, incluindo a leitura crítica. [Fonte]

Antes que me pergunte: não, você não precisa de um, A MENOS QUE deseje publicar por uma editora grande. Algumas delas só vão ouvir o que você tem a dizer sobre seu livro se, antes, um agente intermediar o contato entre vocês.

Praticamente não adianta mandar por conta própria para algumas delas sem passar pelo agente antes, as chances são de que nem olhem seu manuscrito, por isso busque sempre se informar antes do envio se esses profissionais serão necessários. Também é fundamental a parceria com um agente literário se você deseja publicar fora do país, em qualquer idioma.

Mas, claro, isso traz uma desvantagem: um agente abrirá portas, sem dúvidas, porém é um serviço que pode sair meio caro, já que no Brasil ainda não é um mercado grande.

A dica básica, caso queira contratar um é a mesma sobre as editoras: pesquise o passado do agente e busque saber com quem ele trabalha ou trabalhou. Converse com outros autores que ele agenciou e se informe se vale a pena para o tipo de publicação que você deseja.

E algo que descobri vendo um hangout com agentes uns mil anos atrás: fuja daqueles que vão te cobrar mensalmente. O melhor agente é aquele que cobra quando apresenta resultados.

Se depois de escrever tanto no book proposal, você ainda estiver vivo, coloque umas compressas, faça uns alongamentos e volte aqui para ler a próxima parte, na qual falaremos sobre autopublicação.

Até breve e boa sorte na fisioterapia para tratamento dessa tendinite no punho!
Titia ama vocês.

2 comentários:

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.



As imagens que servem de ilustração para o posts do blog foram encontradas mediante pesquisa no google.com e não visamos nenhum fim comercial com suas respectivas veiculações. Ainda assim, se estamos usando indevidamente uma imagem sua, envie-nos um e-mail que a retiraremos no mesmo instante. Feito com ♥ Lariz Santana