Diferenças Entre as Religiões e Denominações Cristãs

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018


Olá!

 Se você está pensando em escrever uma história que aborda a religiosidade, clicou no artigo certo. É sempre necessário pesquisar tudo o que puder sobre o tema que se planeja tratar. Ainda mais quando se fala em algo tão delicado quanto a religião.

 Com o passar dos séculos e a evolução da humanidade, muitas religiões surgiram e desapareceram, e um artigo só não bastaria para falar sobre todas elas. Por isso, vamos focar aqui nas principais religiões que são praticadas atualmente no mundo.

 Para começar, é importante definir o que é religião. Religião é um conjunto de símbolos, crenças, rituais e tradições que rege um grupo de fiéis nos aspectos espirituais e morais. Geralmente, uma religião tem sua base na crença do sobrenatural, da existência de um poder divino que comanda o destino da humanidade e que deve ser temido (no sentido de ser respeitado, obedecido).

 Atualmente, as principais religiões do mundo são:

1. Cristianismo
  1. Origem: fundada pelos seguidores de Jesus Cristo em 30 d.C. (estimativa).
  2. Adeptos: cristãos - aproximadamente 2,2 bilhões
  3. Crença: monoteísta - Deus Uno e Trino; Pai, Filho e Espírito Santo (formando a Santíssima Trindade); santos e profetas; anjos e demônios.
  4. Na prática:
    * batizado dos recém-nascidos;
    * seguimento e reflexão da Bíblia Sagrada (Cristã);
    * em memória da morte e ressurreição de Jesus Cristo, celebra-se a eucaristia (comunhão);
    * atividades religiosas aos domingos.
     Os cristãos acreditam que Jesus Cristo, filho de Deus, veio ao mundo para salvar a humanidade. Para eles, Deus é onipresente e onisciente, ou seja, está em todo lugar e sabe de todas as coisas.
     Têm o propósito de viver sob os mandamentos de Deus para alcançar o perdão dos pecados e, assim, ter a vida eterna.
     Há divisões dentro desta religião, mas sua base está presente em todas elas.
  5. Para saber mais: documentário da BBC sobre a história do cristianismo - https://goo.gl/LXvNXT.

2. Islamismo
  1. Origem: fundada pelo profeta Maomé no início do século VII.
  2. Adeptos: muçulmanos - aproximadamente 1,6 bilhões.
  3. Crença: monoteísta - Deus único chamado Alá; Maomé e outros profetas; anjos e jinns (espíritos que podem ser bons, mas em sua maioria são maus).
  4. Na prática:
    * obediência aos cinco pilares do Islã: fé, oração, peregrinação, esmola e jejum;
    * seguimento e reflexão do Alcorão;
    * não se pode consumir carne de porco, cão ou gato;
    * exercício do Ramadã, mês em que se pratica o jejum desde o nascer até o pôr-do-sol.
    * atividades religiosas às sextas-feiras.
     Os muçulmanos seguem os mandamentos da lei islâmica (a sharia), e acreditam que os ensinamentos de Alá contidos no Alcorão foram revelados a Maomé pelo anjo Gabriel. Assim como a Bíblia Cristã, o Alcorão apresenta admoestações sobre o Juízo Final e sobre a conduta ética e moral que seus fiéis, bem como histórias sobre Maomé e outros profetas.
     Também como os cristãos, os muçulmanos creem que, após a morte, as pessoas boas vão para o Paraíso, e as más, para o Inferno.
     Existem vertentes dentro desta religião com diferenças significativas relacionadas, principalmente, às concepções de liderança.
  5. Para saber mais: documentário sobre a história do Islã - https://goo.gl/f5obYA.

3. Hinduísmo
  1. Origem: Índia.
  2. Adeptos: hindus - aproximadamente 900 milhões.
  3. Crença: politeísta - Brama representa a força criadora ativa no universo, se manifestando em cerca de 330 mil deuses e deusas; Brama, Vishnu e Shiva são os deuses que formam a Trimúrti (a trindade hindu).
  4. Na prática:
    * devoção a um deus ou a uma deusa hindu;
    * crença no carma (a lei do retorno), a força que define que todas as ações têm consequências diretas;
    * exercícios de meditação e yoga;
    * peregrinação às cidades sagradas da tradição hindu.
     O hinduísmo tem suas doutrinas baseadas nas escrituras sagradas do livro de Vedas, e abrange uma vasta gama de seitas e variações (que podem ser politeísta ou monoteístas).
     Para os hindus, os humanos são escravos da ignorância, mas podem e devem evoluir espiritualmente. Eles creem que, após a morte, a alma reencarna diversas vezes até atingir o Nirvana (o ápice da evolução espiritual).
  5. Para saber mais: documentário da universidade Estácio de Sá (Vitória - ES) sobre o hinduísmo - https://goo.gl/1hMfyn.

4. Religião Tradicional Chinesa
  1. Origem: China.
  2. Adeptos: aproximadamente 400 milhões.
  3. Crença: politeísta - Guan Yu é o deus supremo; dualista - baseada no yin e yang.
  4. Na prática:
    * culto e devoção aos ancestrais;
    * adivinhações e profecias;
    * práticas de longevidade;
    * exercício do feng-shui: um prática chinesa que envolve arte e ciência, tendo o propósito de atrair influências positivas da natureza.
     O termo “religião tradicional chinesa” engloba a complexas interações entre as várias religiões e tradições filosóficas que se manifestam no território chinês. Misturam crenças, práticas e rituais de diferentes doutrinas como o Budismo, o Confucionismo, o Taoísmo e outras religiões menos populares.
     O objetivo dos adeptos desta religião é viver de modo favorável e alcançar a vida após a morte, reverenciando os ancestrais em ritos de homenagem. Acreditam no Juízo Final, que guia as almas para a reencarnação ou para o inferno temporário. Após a passagem pelo inferno, as almas podem voltar ao ciclo de reencarnação até que atinjam o Nirvana.
  5. Para saber mais: artigos com fotos e vídeo sobre as doutrinas da China - https://goo.gl/2C1oxW, https://goo.gl/eQGx6k

5. Budismo
  1. Origem: fundada por Sidarta Gautama (Buda), em 520 a.C. (estimativa).
  2. Adeptos: budistas - aproximadamente 376 milhões.
  3. Crença: não há um deus, apenas um líder espiritual (Buda); vertente politeísta e ateia.
  4. Na prática:
    * exercícios de meditação e mantras;
    * leitura de cânones;
    * devoção às divindades (dentro das seitas politeístas);
    * adoração às mandalas budistas.
     O budismo acredita no ciclo reencarnação, onde as vidas presentes e passadas estão interligadas, até que se atinja o Nirvana e se consiga a plenitude da natureza humana. Para seus fiéis, o carma passado e/ou presente determina consequências (frutos) e/ou resultados (vipaka); ele é gerado pelas ações do corpo, da fala e da mente (pelas reais intenções mentais).
     Existem diferentes escolas dentro desta religião que se dividem em: Escolas Antigas, Escolas Mahayana e Escolas Vajrayana.
  5. Para saber mais: documentário sobre a história do budismo - https://goo.gl/oigwqp.

6. Sikhismo
  1. Origem: fundada pelo Guru Nanak, na província de Punjab na Índia, no fim do século XV.
  2. Adeptos: sikhs - aproximadamente 20 milhões.
  3. Crença: monoteísta - Deus supremo chamado Ik Onkar (ou Nam).
  4. Na prática:
    * uso de turbantes;
    * orações e meditações sobre Deus;
    * equilíbrio entre trabalho, culto e caridade;
    * cerimônia de iniciação à comunidade sikh, chamada de khalsa.
     Os sikhs têm o objetivo de superar a si mesmos, alinhando a vida com a vontade divina para lutar pelo bem da humanidade e se tornar um “soldado santo”. Também acreditam na reencarnação, que termina após a solução das falhas humanas numa busca pela união com Deus.
     Uma das tradições do sikhismo consiste em levar as crianças recém-nascidas a um gurdwara (templo sikh). Lá, abre-se o Guru Granth Sahib (o principal texto religioso) numa página qualquer para se escolher um nome. Ele começará pela primeira letra da primeira palavra da página do lado esquerdo, na parte em que o livro foi aberto.
  5. Para saber mais: documentário da Globo sobre o sikhismo - https://goo.gl/PVhFEB.

7.  Judaísmo
  1. Origem: Palestina, 1300 a.C. (religião hebraica).
  2. Adeptos: judeus - aproximadamente 15 milhões.
  3. Crença: monoteísta - Deus único chamado Adonai; Abrãao como patriarca.
  4. Na prática:
    * circuncisão no nascimento;
    * leitura e reflexão da Bíblia Hebraica;
    * celebração do Bar Mitzvá (para meninos aos 13 anos e um dia) e do Bat Mitzvá (para meninas aos 12 anos e um dia), que marcam a passagem para a maioridade religiosa;
    * reserva dos sábados para descanso;
    * cultos nas sinagogas e nos templos judeus.
     O judaísmo objetiva uma vida ética sob a obediência aos mandamentos divinos contidos na Torá, que foi revelada a Moisés por Deus. Dentre seus fiéis, há aqueles que acreditam numa vida após a morte (no “Mundo Vindouro”, o paraíso), e há aqueles que descartam a ideia. A religião em si não determina nada exato em relação a esse quesito.
     Os judeus praticam uma tradição matriarcal, ou seja, um filho de mãe judia também será judeu.
     A religião possui três grupos diferentes: o ortodoxo, o conservador e o reformista.
  5. Para saber mais: documentário sobre a história e origem do judaísmo - https://goo.gl/PpfXof.

8.  Espiritismo
  1. Origem: fundado nos EUA após a difusão do O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec (França, 1857).
  2. Adeptos: espíritas - aproximadamente 13 milhões.
  3. Crença: a crença oficial é baseada na doutrina e no Deus cristão, mas existem variações.
  4. Na prática:
    * comunicação com os espíritos dos mortos;
    * medicina espiritual;
    * leituras de guias e idas a centros espíritas.
     Na verdade, o espiritismo é mais um movimento do que uma religião. Seus princípios são baseados em cinco “obras básicas” chamadas de Codificação Espírita (também de Allan Kardec).
     Para os espíritas, o corpo e o espírito são entidades separadas. Acreditam que seguir valores morais e manter contato com espíritos afeta a vida após a morte. Quando uma pessoa morre, seu espírito vai para o Céu, ou fica preso neste plano até que tenha evoluído o suficiente para seguir seu caminho em forma de luz.
  5. Para saber mais: documentário da BBC - https://goo.gl/Bmkmhc.


 Como dito anteriormente, há divisões dentro da religião cristã, e um dos pedidos para esse post foi a diferenciação entre elas. No Brasil, convivemos diariamente com a maioria dessas divisões, mas quem as observa de fora pode confundi-las, ou ficar com a impressão de que são todas iguais. Apesar de a base do cristianismo (as informações listadas lá em cima) estar presente em cada uma de suas divisões, podemos encontrar muitas divergências.
 Dê uma olhada na lista a seguir com as principais ramificações cristãs:

1. Catolicismo
  1. Hierarquia: o papa é a autoridade máxima dentro da Igreja.
  2. Sacramentos: batismo, eucaristia, crisma, casamento, ordem, penitência e extrema unção.
  3. Salvação: fé e boas obras.
  4. Escrituras: Bíblia e livros deuterocanônicos (sete livros que foram retirados da atual tradução do Antigo Testamento).
  5. Particularidades:
    * latim como língua litúrgica oficial (mas as missas podem ser celebradas em qualquer idioma);
    * uso de terços, crucifixos e imagens (estátuas) de santos (importante lembrar que católicos não adoram imagens, apenas as usam como uma representação concreta dos santos).

2. Igreja Ortodoxa
  1. Hierarquia: descentralizada, porém representada pelo Patriarca de Constantinopla.
  2. Sacramentos: batismo, eucaristia, crisma, casamento, ordem, penitência, extrema unção, jejum e doações.
  3. Salvação: fé e boas obras.
  4. Escrituras: Bíblia e livros deuterocanônicos.
  5. Particularidades:
    * todas as missas são realizadas na língua vernácula;
    * uso de rosários, crucifixos e imagens pintadas (quadros) de santos (importante lembrar que ortodoxos não adoram imagens, apenas as usam como uma representação concreta dos santos).
    > Para conferir diferenças mais detalhadas entre a Igreja Católica e a Ortodoxa, dê um pulinho aqui: https://goo.gl/oPkhvo.

3. Anglicanismo
  1. Hierarquia: centralizada de forma moderada, com o arcebispo da Cantuária como símbolo de unidade mundial.
  2. Sacramentos: batismo e eucaristia, são os principais; crisma, casamento, ordem, penitência e extrema unção são tidos como sacramentos menores (ritos sacramentais).
  3. Salvação: fé.
  4. Escrituras: Bíblia e livros deuterocanônicos (com restrição às seções mais protestantes).
  5. Particularidades:
    * não possui língua litúrgica oficial.
    * a Igreja Anglicana se descreve como uma instituição que manteve alguns elementos católicos, mas que também incorporou elementos protestantes.

4. Luteranismo
  1. Hierarquia: descentralizada.
  2. Sacramentos: batismo e eucaristia.
  3. Salvação: fé.
  4. Escrituras: Bíblia e livros protocanônicos (que foram retirados da atual tradução do Antigo Testamento).
  5. Particularidades:
    * a Bíblia pode ser livremente interpretada.

5. Igreja Batista
  1. Hierarquia: descentralizada.
  2. Sacramentos: não há. O batismo é voluntário e a Ceia do Senhor, memorial; ambos são tidos como ritmos comunitários.
  3. Salvação: arrependimento e contrição.
  4. Escrituras: Bíblia (com ênfase no Novo Testamento).
  5. Particularidades:
    * a Bíblia pode ser livremente interpretada;
    * separação entre Igreja e Estado.

6. Presbiterianismo
  1. Hierarquia: descentralizada.
  2. Sacramentos: batismo e eucaristia.
  3. Salvação: predestinação.
  4. Escrituras: Bíblia e livros protocanônicos.

7. Adventismo
  1. Hierarquia: escolhido por voto, o presidente da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia é a autoridade máxima.
  2. Sacramentos: batismo, eucaristia e lava-pés.
  3. Salvação: fé e boas obras.
  4. Escrituras: Bíblia e Obras de Ellen G. White.
  5. Particularidades:
    * sábado como dia de descanso;
    * separação entre Igreja e Estado;
    * mortalidade da alma e volta de Jesus Cristo.

8. Metodismo
  1. Hierarquia: descentralizada.
  2. Sacramentos: batismo e eucaristia.
  3. Salvação: em três passos - graça previniente, conversão e santificação.
  4. Escrituras: Bíblia.

9. Testemunhas de Jeová
  1. Hierarquia: centralizada no Corpo Governante e suas corporações afiliadas.
  2. Sacramentos: batismo.
  3. Salvação: fé e obras de evangelização.
  4. Escrituras: Bíblia, com exclusão dos livros apócrifos (e na tradução do Novo Mundo).
  5. Particularidades:
    * evangelização de casa em casa;
    * paraíso na terra como esperança.

10. Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmon)
  1. Hierarquia: presidente da igreja (com sede em Salt Lake City) é a autoridade máxima.
  2. Sacramentos: batismo, crisma, casamento e ordem.
  3. Salvação: boas obras.
  4. Escrituras: Bíblia, Livro de Mórmon, Doutrina e Convênios e Pérola de Grande Valor.
  5. Particularidades:
    * pré-existência da alma antes da encarnação.

 Existem outras ramificações cristãs, mas procurei listar aqui as que mais encontrei pelas fanfics do Nyah!. Aqui você encontra uma linha do tempo com mais ramificações: http://arte.folha.uol.com.br/poder/2016/12/25/arvore-religioes/.
 Independentemente da religião que escolher abordar em sua história, tenha em mente que esse post contém apenas características básicas para uma diferenciação mínima, e que, claro, existem outras religiões além das que apareceram aqui. Para descobrir mais particularidades sobre a sua escolha, aposte nestas dicas:
  1. Documentários: nesse mundo vasto chamado internet, você consegue encontrar documentários em várias línguas e durações sem muito esforço. Antes de assisti-los, cheque as críticas para saber o que vai encontrar (procure sempre pelos conteúdos neutros).
  2. Artigos: muitos veículos de informação têm artigos super esclarecedores sobre as religiões do mundo (como BBC, Globo, Superinteressante…). Além deles, você pode contar com sites dedicados à religião que você escolher, onde, geralmente, o conteúdo é mais rico em detalhes.
  3. Pesquisa de campo: se possível, vá a uma celebração/cerimônia dessa religião para observar com seus próprios sentidos a reação dos fiéis e a realização dos ritos, por exemplo. Se conhecer algum praticante, tente uma entrevista para tirar suas dúvidas.
  4. Pesquisa, pesquisa e pesquisa: apoie-se em imagens, músicas, vídeos de depoimentos/celebrações e tudo o mais que puder encontrar sobre a religião escolhida. Claro, sua história não tem de ser uma aula de religião, mas incrementá-la com alguns detalhes únicos a deixará muito mais palpável para os leitores!

  Agora, e se você ainda não escolheu que religião abordar? Não se preocupe! Temos dicas para esse caso também:
  1. Local/Época: definindo esses dois pontos sobre seu enredo, você pode pesquisar quais eram as religiões mais populares no espaço entre eles e qual se encaixa melhor no plot.
  2. Características dos personagens: de acordo com o perfil dos seus personagens, qual religião você acredita que eles se encaixariam?

 Bom, esse foi nosso post sobre as diferenças entre as principais religiões. Obrigada por ter lido até aqui. Espero ter te ajudado pelo menos um pouquinho, e também espero criar uma ótima história!
 Se restar alguma dúvida, fique à vontade para me contatar pelo Nyah.
 Até mais ver!

Referências

Entrevista com Mariléa Antunes Costa, formada em Teologia (para leigos) pela Faculdade Paulo VI (Mogi das Cruzes - SP).

4 comentários:

  1. Adorei! Achei bem resumido e prático. Uma de minhas histórias tem uma personagem que, em tese, deveria ser judia, mas por eu não ter me informado bem, acabei deixando algo muito mal representado no enredo (pretendo ajustar, prometo). Aliás, achei a tradição do sikhismo bem interessante. Usarei a mesma tática para criar o nome de meus personagens. hahah Obrigada pelo texto! Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficamos muito contentes por teres gostado! Boa sorte com as tuas histórias! :)

      Excluir
  2. A diversidade de denominações religiosas fazem parte do eu politico do homem, isto poderia ser resumidamente reconhecer que somente há um Deus Soberano sobre tudo e todos, estarei bem municiado com resumo de vossos conhecimentos, grato e vamos em frente.

    ResponderExcluir

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.



As imagens que servem de ilustração para o posts do blog foram encontradas mediante pesquisa no google.com e não visamos nenhum fim comercial com suas respectivas veiculações. Ainda assim, se estamos usando indevidamente uma imagem sua, envie-nos um e-mail que a retiraremos no mesmo instante. Feito com ♥ Lariz Santana