Como escrever sob o ponto de vista do sexo oposto (02/02) — Feminino

Por: Mr Martell Perfil:  https://fanfiction.com.br/u/173115/ Olá! Como vão vocês? Nessa segunda parte do artigo, vamos abordar...


Por: Mr Martell
Perfil: https://fanfiction.com.br/u/173115/


Olá! Como vão vocês? Nessa segunda parte do artigo, vamos abordar a escrita sob o ponto de vista de personagens femininas, por isso, este texto é voltado para os homens que gostariam de escrever sob a perspectiva de uma moça.

Escrever pelos olhos do sexo oposto não é fácil para nenhum dos sexos, entretanto, quando o autor é um garoto, a coisa fica mais complicada.

Mas, acalmem-se! Eu estou aqui para te ajudar. Vamos começar do início.

Vejam bem: basicamente, as mulheres só precisam tomar o cuidado, quando escrevendo do ponto de vista de um garoto, de não deixar o personagem feminino demais (caso esse não seja o objetivo, porque não há problema em um moço afeminado, contanto que a autora tenha plena consciência de que é assim que ela imaginou o personagem) e nem abusar de certos estereótipos masculinos, ao exagerar nas gírias e retirar os sentimentos para que ele seja o “machão”. E é praticamente isso.

Quando a situação é invertida, temos um quadro bem diferente.


“Mas por que diferente, Mr Martell?”


Meu caro amigo, por diversos fatores. Entenda: tanto garotos quanto garotas cresceram lendo livros, vendo filmes, séries, novelas em que os personagens masculinos atuavam em diversos setores e tinham os mais diversificados conflitos. A maioria dos personagens principais em filmes blockbusters e em franquias famosas são homens. De Chandler Bing a Superman, a figura masculina sempre foi representada das mais diversas formas. Em todas as esferas, a figura masculina é apresentada de inúmeras maneiras, nunca prendendo os garotos a um papel específico simplesmente por serem garotos.

Com as personagens femininas é diferente. Se as mulheres precisam prestar em atenção em alguns estereótipos, os homens têm que ter uma atenção triplicada; isso porque a figura feminina foi, historicamente, profundamente afundada em clichês muito mais pesados. Por isso, aqui, o buraco é mais embaixo.

Às mulheres foi dado, demasiadamente, o papel de personagem de apoio.


“Mas o que são personagens de apoio?”


Bem, personagens de apoio são aqueles cujas ações são centradas em ajudar alguém, geralmente o mocinho. São criados única e exclusivamente para o crescimento de outro personagem em detrimento do seu. São aqueles que geralmente não têm uma esfera própria, um conflito dele, um crescimento; são suportes, alicerces, motivadores dos personagens principais. E isso pode vir a ser muito problemático. Vamos a um exemplo de um filme bem atual para que você possa ter uma ideia melhor o que quero dizer: a Viúva Negra em Era de Ultron [SPOILERS]



A personagem de Scarllet Johansson, Viúva Negra, é um bom exemplo disso. Além de ser a única mulher do grupo, com exceção da recém-chegada Wanda, a Viúva Negra não tem realmente um papel importante no filme senão o de acalmar o Hulk. Há alguns flashbacks de seu passado, alguma conversa aqui ou ali, mas, se você prestar bem atenção, diferentemente dos outros personagens do filme, o foco de Viúva foi trazer Bruce Banner à sanidade, de dar apoio a um personagem masculino.


Conseguiu seguir o pensamento?

Gostaria de deixar claro que não estou dizendo que é ruim haver personagens de apoio na sua história. Eles têm a sua importância e não há nada de errado nisso. O problema é quando esse papel é, quase sempre, dado a uma personagem feminina.

Com isso, o que quero dizer é que: o primeiro passo para você, cara, escrever uma boa personagem feminina é entender que mulheres podem, sim, ter seus próprios conflitos e seu próprio crescimento, que não precisam ser suportes de outros personagens apenas porque são mulheres.

Tendo isso em mente, vamos avançar.

Nesse momento, gostaria de apresentar alguns outros estereótipos recorrentes e que precisam ser evitados. Se você quer escrever uma boa personagem feminina, há alguns conceitos que você deve conhecer. Não é possível abordar todos, então irei apontar apenas quatro, aqueles que eu imagino serem os mais recorrentes em fics escritas por garotos:


A Personagem Badass (fodona)


Ela é independente. Ela pula do alto de prédios, bate em vinte vilões, deixa qualquer um no chinelo com seus movimentos acrobáticos e seu poder de luta. Ela é uma personagem forte. Sim?

Não necessariamente.

A força de uma personagem não é definida pela quantidade de socos que dá, mas sim pela sua influência na história e crescimento próprio durante a trama.


Personagens fortes são catalizadoras. Elas mudam as circunstâncias, crescem durante a história, têm arcos e conflitos bem-escritos. Socar é muito legal, sim, é. Mas isso, só isso, não faz alguém forte. Não confunda as coisas, se você quer uma personagem badass, faça; mas entenda que somente saber chutar a costela dos inimigos não a faz uma boa personagem. Há inúmeros exemplos de personagens femininas mestres em artes marciais, mas que não possuem absolutamente nenhuma profundidade, o que as torna, muitas vezes, pobres.


Isolamento de mulheres


Garotas podem conversar. Podem trocar ideias. Podem ter um tempo juntas. Não esqueça que mulheres, sim, conversam umas com as outras.

Pois é, às vezes o óbvio precisa ser dito. Algo que é muito recorrente em fanfics, especialmente as escritas por homens, é o isolamento das mulheres. Há personagens femininas na história, mas é como se elas vivessem em cidades, em universos diferentes. Cada uma vivendo em seu mundo, distantes, em seu plot, em sua esfera. Muitas vezes, elas não se conectam amigavelmente com nenhuma outra personagem profundamente durante a trama; mesmo que morem na mesma rua, ficam sempre separadas, longe uma das outras.

Não há motivo algum para fazer isso. Ao escrever sob o ponto de vista de uma mulher, tenha em mente de que, sim, sua personagem pode ser amiga de outras mulheres, que ela vai conversar com outras mulheres e que isso é absolutamente normal. Parece óbvio, mas a quantidade de histórias com personagens femininas isoladas em esferas diferentes é alarmante.

Não interagem e, quando o fazem, o fazem negativamente. O que nos leva a um outro caso.


Ódio entre garotas (girl on girl hate)


Esse estereótipo é muito repercutido em fics de colegial. “A inimiga, a falsiane.” Garotas que tratam mal outras garotas, moças que odeiam outras moças, mulheres que xingam mulheres, falando mal de suas roupas, de seus sapatos... Não há nenhuma necessidade disso. Não há motivo algum para sua personagem odiar outra personagem feminina simplesmente porque “mulheres fazem isso”. Mulheres não fazem isso. Odiar outra garota não é inerente ao gênero feminino.

Um ótimo exemplo disso é quando a personagem está em um relacionamento estável com um garoto, e ele acaba a traindo. Ela, ao invés de tirar satisfação com seu namorado, culpa a outra mulher, que muitas vezes nem sabe que aquele moço estava comprometido. É uma cultura de ódio.

Se você vai fazer duas personagens se odiarem, vá em frente; meu objetivo aqui não é colocar regras em sua história, mas sim fazê-lo entender que, muitas vezes, acabamos reproduzindo situações problemáticas sem percebermos, simplesmente porque estamos acostumados com algo.


Sexualização excessiva e objetificação do corpo feminino


No momento em que Mariana entrou na sala, todos pararam os seus afazeres para admirá-la. Ela era realmente linda. Tinha cabelos loiros extremamente lisos, que desciam até a sua bunda avantajada como uma cachoeira dourada, cintura bem definida, olhos verdes fortes e um belo par de seios que ficaram em evidência naquele vestido vermelho-vinho. Esse conjunto, somado a seu andar sexy e postura imponente, fazia com que cada homem naquele lugar a desejasse.

Acredito que o exemplo seja auto-explicativo. Não nos interessa, aqui, abordar os motivos disso acontecer, mas sim deixar essa situação clara e explicar o porquê dela ser problemática: muitas vezes, os autores dão corpos perfeitos às suas personagens, embelezando-as excessivamente e focando de maneira demasiada nessa beleza durante toda a história, dedicando vários parágrafos exclusivamente à descrição física dessas figuras. Tal descrição excessiva pode (e vai) deixar a leitura da história cansativa, além de perpetuar uma espécie de biotipo ideal.

A coisa se acentua quando a fic é escrita em primeira pessoa. Tenha certeza, meu amigo, que as garotas não dão tanta atenção aos seus seios quanto nós damos. É bom dosar a descrição, para que a leitura de seus textos não se torne enfadonha.

Há vários outros clichês que precisam ser abordados, mas o artigo ficaria um tanto grande e disperso. Para esse tema, é necessário um post exclusivo; post esse que já foi escrito pela nossa querida beta Senhorita Ellie. Se você quer se aprofundar um pouco mais nesse assunto, vou deixar o link no fim deste texto.

Muito bem, agora que já conhecemos algumas situações que podemos evitar (e de ter a oportunidade de conhecer muito mais, lendo o artigo "A Representação Feminina nas Histórias", que citei), iremos abordar algumas situações do universo feminino que podem ser aproveitadas por você (ou que podem servir como aviso).

O que vem a seguir é um bônus; o objetivo do artigo é alertar o autor, fazê-lo enxergar algumas coisas que pode estar fazendo involuntariamente. A partir desse momento, vamos entrar em outro âmbito e apontar um pouquinho certos assuntos que envolvem o universo feminino, de maneira bem rápida.


Menstruação


Um tema pouco abordado, mesmo em histórias escritas por garotas, mas a menstruação é uma parte importante da vida das mulheres e que pode muito bem ser aproveitada na sua história.

Vale, aqui, uma pesquisa maior sobre como funciona o corpo feminino, pois tudo o que darei são algumas dicas bem objetivas. São elas:

Há diversos níveis de cólicas menstruais. Algumas moças sentem mais, outras menos (há quem precise tomar remédios para diminuir as dores);

→ O tempo é muito variável;

→ Absorvente não é confortável, principalmente o que não é OB (o interno), que, aliás, não pode ser esquecido;

→ Absorventes precisam ser trocados de 3-4 horas, e, ao dormir, as garotas utilizam o noturno, que é um tanto diferente. (Não é uma regra, podendo variar de acordo com o corpo e as preferências da mulher.)

Comentários não requisitados:


"Mas você vai sair com essa roupa?"

"Não vai fazer as unhas, não?"

"Amiga, essa roupa tá deixando gorda."

"Você precisa perder uns quilinhos, vai ficar obesa!"

"Que batom é esse, mana?"

"E esse cabelo, vai deixar assim mesmo? Tá um horror."

Meus amigos, acreditem: esses comentários estão muito presentes na vida das mulheres (que podem parecer inofensivos à primeira vista, mas que carregam uma carga muito pesada), bem mais do que imaginamos. Elas são julgadas a todo o instante, e são punidas com essas opiniões não pedidas frequentemente. Não consigo nem imaginar como é viver nessa situação.


A famosa TPM


Sim, as moças ficam mais impacientes (há sangue saindo de suas vaginas e cólicas horríveis estão acontecendo, quem não ficaria?). Mas não é porque estão nesse estado que vão atacar todo o ser humano que aparecer na frente delas ou que passarão o dia chorando assistindo Netflix. Tome cuidado, amigo. É bom evitar aquela antiga ideia de “se a mulher está irritada, deve estar de TPM” (até porque esse pensamento é usado para deslegitimizar ações femininas, o que é bem ruim.)

É importante lembrar também que, na maioria das vezes, essa situação é pouco perceptível. À exceção de casos extremos, onde a moça pede um remédio para dor ou algo do tipo, as pessoas ao redor geralmente não percebem.

Mais algumas pequenas verdades:

→ Seios são assimétricos;

→ Sutiãs podem ser muito desconfortáveis;

→ Saltos doem, especialmente se são longos e finos;

→ Seios grandes são desconfortáveis. Dependendo do tamanho, podem causar problemas de coluna;

→ Há xampus e condicionadores específicos para cada tipo de cabelo, além de óleos para aqueles que ficaram muito secos.


*****

Por fim, o último conselho que dou é:

Escreva a sua personagem como se ela fosse humana.

E isso vale para todas as personagens, não somente a principal. Moço, lembre que sua personagem pode, sim, ter uma vida fora de um relacionamento. Que ela não precisa ter apenas um foco na vida (mulher que vive em função de um trabalho, por exemplo), que pode, sim, ter seus próprios conflitos, hobbies e desejos. Ela não precisa ser apoio físico e moral de ninguém simplesmente porque é uma garota.

Encare-a como um ser humano e a escreva com paixão. Faça-a ser única, não uma repetição de estereótipos que já são tão disseminados no meio em que vivemos. 

Se você fizer isso, eu te garanto: você conseguiu escrever sob o ponto de vista de uma mulher.

E, afinal, não era esse o objetivo?



******



A Representação Feminina nas Histórias:

Parte 2:
Referências:
Agradecimentos especiais à Giulia Correia, à Iamela Freitas e à Yasmin Bom. Muito obrigado, gatas, me ajudaram demais!

Artigos relacionados

12 comentários

  1. Apenas uma coisa, sobre a TPM: Ela vem antes da menstruação, e não enquanto ela está descendo. Por isso que se chama tensão PRE menstrual. Apesar de que realmente vêm uma cólica nos últimos dias

    ResponderExcluir
  2. Adoro o blog, tem muitas dicas boas e me ajuda muito! ^^ Ty betas!

    ResponderExcluir
  3. Já li fanfic em que fizeram a personagem feminina parecer o capeta para representar a TPM, enquanto no resto da história ela era um anjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também já! É sempre uma desilusão, pelo menos para mim :/

      Excluir
  4. Oi, eu amei o post, tem algum do ponto de vista masculino?
    Gostei muito da forma como você escreveu, e admito que não gosto muito de descrições onde enfatiza o corpo feminino e principalmente se ele for perfeito, fica um pouco surreal. E descrições de um personagem que vem logo de uma vez, acho que fica melhor dividir, em um momento foca nos cabelos, em outro fala dos olhos. Quando é tudo de uma vez a leitura fica cansativa.
    Ah!, e eu queria corrigir uma coisinha: TPM, é Tensão Pré-Menstrual, ou seja, as mudanças de humores vem ANTES da menstruação. É uma coisa que muita gente erra, e eu queria lembrar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo teu comentário! Existe assim um post com o ponto de vista masculino. Aqui está: http://ligadosbetas.blogspot.pt/2015/09/como-escrever-sob-o-ponto-de-vista-do.html
      Beijos

      Excluir
  5. Gostei bastante do post (tanto desse quanto do POV masculino). O ódio entre mulheres é muito comum na mídia e muitas fanfics continuam a propagá-lo, não importa se não representa a realidade. A menstruação é muito pouco comentada mesmo, às vezes me parece que ela simplesmente não existe nas fanfics, mas talvez isso se deve pelo fato de que a maioria dos personagens escritos são homens, eu mesma escrevi pouquíssimas vezes o POV feminino (me aprofundo nele em histórias originais). E pelo menos, todas as mulheres e garotas que conheço tomam remédio para a cólica, não é algo que só algumas fazem. E o estresse e irritação da TPM não abrange todas as mulheres, existem aquelas que nem os sentem ou ficam com outros sintomas de humor, como os depressivos, que eu tenho por exemplo.
    Enfim, ótimo texto. Até!

    ResponderExcluir
  6. Bem, como alguém que pretende escrever praticamente um "Battle Shoujo" esse artigo foi 200% sensacional, muito obrigado

    ResponderExcluir

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.