Como escrever sob o ponto de vista do sexo oposto (01/02) — Masculino

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Por: Mr Martell

Escrever no ponto de vista de um personagem que não pertence ao mesmo sexo que você pode ser bem difícil, hein? Eu, por exemplo, não consigo escrever pela visão de uma mulher porque simplesmente não conheço o seu universo muito bem — não conheço suas aflições, seus pensamentos, seu dia a dia... e isso dificulta, e muito, a criação de uma narrativa verossímil.
Já até tentei amenizar essa situação ao usar a terceira pessoa — tentando, ao máximo, me distanciar dos pensamentos da personagem —, justamente por ter medo da minha história soar estereotipada e rasa (não tive muito sucesso com esse projeto). E, acreditem, infelizmente, essa é a realidade de diversas histórias que se encontram no nosso Nyah! (sim, yaois, é com vocês que eu estou falando).
Sem perceber, é possível que a gente, ao entrar nesse universo não tão conhecido, acabe pecando em vários pontos. Cansei de ver autoras enchendo suas histórias de gírias como “mano, cara, maluco, velho” numa tentativa fracassada de trazer mais “masculinidade” às suas fics, sendo frios e insensíveis, mostrando sempre um quarto bagunçado e dando ênfase em ações tão comuns como deixar a tampa do vaso sanitário levantada; há também aquelas que colocam traços genuinamente femininos em seus personagens sem ter ideia do que estão fazendo — homens falando “obrigada” e que passam horas inteiras olhando para a foto de uma mulher, dizendo para todos o quanto ele a acha linda, perfeita e maravilhosa.
É importante ressaltar que não quero determinar como você deve ou não fazer seu personagem, qual deve ser a personalidade dele ou algo assim. Nada — nada — impede você de criar alguém com traços do outro gênero, até porque gênero não é nada absoluto. É preciso, porém, ter cuidado para não cometer falhas como as citadas anteriormente.
Homens podem ser amorosos, carinhosos, mandar flores para seu ficante? É claro! Podem também não dar a mínima para o relacionamento? Sim! Mas é necessário que você, autora, saiba dosar isso, não force a barra e não deixe seu personagem parecendo muito forçado.
Homens têm outro assunto para conversar além de futebol, assim como também não vão nem se tocar se deixarem a tampa do vaso levantada (cito esse acontecimento novamente porque a situação estava realmente precária), porque é algo natural pra gente. Não estereopatize seu personagem com palavrões e atitudes do estilo “homem não chora”. Chegou em um momento da história em que seu personagem tem que fazer uma decisão e você não sabe o que um garoto faria nessas circunstâncias? Pergunte a um amigo seu! A visão de alguém de fora é sempre importante na hora da construção da sua fic.
Tenha cuidado para não deixar seu personagem raso, para não criar apenas um reflexo de algum estereotipo. Não adianta criar o homem perfeito se ele não tem profundidade alguma. Dê uma personalidade marcante para o seu personagem! Dê-lhe conflitos, sentimentos, sucessos, fracassos!
Trate-o como uma pessoa real e lembre-se de que as pessoas, antes de ser um garoto ou garota, são humanos; e como tal, não podem ser categorizados. O ser humano é muito complexo, e é essa complexidade que nós, autores, devemos usar ao criar os nossos universos — ou ao usar universos já criados. A humanidade, no fim, é superior a qualquer gênero, a qualquer etnia, a qualquer tudo.
(P.S¹: Se seu personagem precisa tomar uma decisão importante e você não faz ideia do que um cara faria naquela situação? Pergunte ao seu pai, seu irmão, seus amigos! Nada melhor do que conversar com um rapaz para entender como um garoto pensa.)

(P.S²: Ler livros que são narrados por garotos também podem ajudar-lhe bastante a não cair nessas ciladas. Obras conhecidas como Harry Potter (J.K Rowling) e nem tão conhecidas como Supernova — O Encantador de Flechas (Renan Carvalho) podem ser de grande ajuda. Para ser uma boa escritora, é imprescindível que você seja uma boa leitora. Procure livros com POV’s masculinos! Dessa forma, será muito mais natural a criação do seu próprio personagem.)

10 comentários:

  1. Acho que isso me ajudou um pouco ^^ Estou tentando escrever um yaoi leve (em outras palavras, shounen-ai) e, claro, é narrado por um garoto. Mas está sendo extremamente complicado porque eu tenho muito medo de que fique estereotipado ou feminino demais.
    (se bem que, a cada 100 coisas existentes no mundo, eu tenho medo de 99)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey! Nesse caso, eu aconselho-te a procurar um beta (se fores posta a história no Nyah, podes procurar na Liga dos Betas) porque ele, mais do que ninguém, pode-te dar conselhos e betar a tua história. O conselho que eu te posso dar é tenta ser o mais natural possível. Pensa nos personagens como humanos e não como do rapazes ou raparigas.
      Beijos

      Excluir
  2. Putz. Minha irmã tinha medo de aprofundar os personagens justamente por isso aí: Tinha medo que eles acabassem ficando emotivos e femininos demais. Mas daí a narrativa ficava rápida e chata. Comigo, minha irmã disse que os meninos sempre eram iguais: Pareciam todos revoltadinhos. Ops.
    Valeu o toque XD

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho uma fanfic narrada por um garoto, e acho até fácil, porque, falando sério, mesmo sendo uma menina, eu não aguento isso de explicar sobre roupas, maquiagens, e também não tinha personagem alguma que fosse "foda-se o mundo" como diz uma amiga minha.
    Meu personagem tem, sim, traços femininos, mas sabe quem ele é? Gray Fullbuster (Fairy Tail), e o enredo da minha fanfic precisava de algo meio afeminado. Claro, sem tirar a perversão de um otaku que só vê ecchi e é virgem, rs.
    Gostei muito do post, obrigada, principalmente, pela parte do "pergunte a um amigo seu"! Eu já fiz isso algumas vezes, a coisa só não funciona quando a questão é "enquete! Quanto mede seu pau?" Não que eu já tenha feito isso...

    ResponderExcluir
  4. Sabe oque é engraçado? É que as minhas personagens (garotas), falam "mano, cara, velho" e.e
    Cá estava eu aqui no site da liga, tranquila e favorável, quando olho: "Como escrever no ponto vista do sexo oposto, parte 2"
    Meu raciocínio veio logo "se tem parte 2 obviamente, ten parte 1, e deve ser do universo masculino"! Eu realmente estou com problemas para escrever yaoi, e eu sou uma garota e por mais que tenha amigos homens (que ficam pagando de macho alfa, em vez de serem mente aberta e responderem minhas peguntas ¬u¬) eu não sou um homem pra saber tudo... é complicado :/
    Mas ajudou o post! Amo esses artigos da liga, sempre me dão uma luz no fim do túnel! ^-^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que podemos ajudar! Se tiveres alguma sugestão para algum post, não exites em dizer-nos!
      Beijos

      Excluir
  5. Não sei se isto pode ajudar tendo em conta que este post tem quase dois anos, mas o meu tio tinha um exercício para conseguir escrever personagens do sexo oposto. Basicamente, ele dizia para criar a personalidade e a história da personagem e só DEPOIS lhe dar um género e um nome.

    ResponderExcluir

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.



As imagens que servem de ilustração para o posts do blog foram encontradas mediante pesquisa no google.com e não visamos nenhum fim comercial com suas respectivas veiculações. Ainda assim, se estamos usando indevidamente uma imagem sua, envie-nos um e-mail que a retiraremos no mesmo instante. Feito com ♥ Lariz Santana