[1/2] Novo Acordo Ortográfico – Teoria

Por: Takahiro Haruka Perfil: http://fanfiction.com.br/u/33636/ Olá, galera! Hoje eu venho falar sobre o terror dos profes...


Por: Takahiro Haruka


Olá, galera!

Hoje eu venho falar sobre o terror dos professores, dos estudantes e, é claro, de nós, escritores: o Novo Acordo Ortográfico. Achava eu, em meados de 2008, que a língua portuguesa era um pesadelo constante e que eu nunca conseguiria gravar todas aquelas regras longas, cansativas e confusas. E olhem só que irônico: apesar das décadas sendo usada e aprendida com muito esforço, em 2009 vimos uma reestruturação, e em 2012 o uso do novo acordo tornar-se intenso. Foi uma blasfêmia aos que tanto se esforçaram para aprendê-la!

Mas essas são águas passadas. Há quem é contra a reforma, há quem está se adaptando, há quem nem chegará a aprender as regras anteriores e, por fim, há quem não se importa com o assunto. Nós, escritores, no entanto, precisamos estar atentos a nossa ortografia e, para fazer bonito, precisamos nos adaptar o quanto antes.

Tendo em mente a importância da adaptação ao novo acordo, desenvolvi dois posts falando sobre o assunto. Mas por que dois, Noni? Simples, querido: vamos tratar isoladamente da história da tal reforma e das mudanças resultantes dela. Ou seja, teremos um post chamado Teoria e um chamado Prática.

Antes de começar o nosso conto de fadas ao avesso, gostaria de declarar que este post será um tipo de curiosidade, e o segundo um guia. O que queremos é que você os consulte sempre que precisar. As mudanças ocorrerão aos poucos, então não tem por que sermos afobados. O caminho para se aprender a língua portuguesa é longo e cheio de curvas. O importante é ter sempre em mente que o conhecimento vem do buscar.

Pois bem. Era uma vez, em 1943, um formulário desenvolvido pela nossa grandíssima Academia Brasileira de Letras...

Brincadeiras à parte, a história se inicia quando, procurando internacionalizar (lê-se: unificar) a língua portuguesa, Brasil e Portugal se unem para criar um único acordo ortográfico. Porém, o acordo desenvolvido em 1945, que foi acatado por Portugal, não teve o mesmo sucesso no Brasil. Retrocedemos e mantivemos as normas estabelecidas em 1943, mantendo-as até 2008.

Para conhecimento supérfluo, já que nosso foco é no acordo seguinte vigente, podemos citar a retirada das letras K, W e Y do alfabeto oficial, as regras para a acentuação das oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas, apóstrofo, hífen e sinais de pontuação e a mudança na divisão silábica (para saber todas as mudanças, vide link no fim do artigo).

Discussões sobre a unificação da língua foram sendo feitas ao longo dos anos. A Academia Brasileira de Letras e a Academia de Ciências de Lisboa desenvolveram, juntas, um Novo Acordo Ortográfico, e reuniram os representantes dos sete países lusófonos*, em 1990, para assiná-lo. Os países são: Angola (África), Brasil (América do Sul), Cabo Verde (África), Guiné-Bissau (África), Moçambique (África), Portugal (Europa) e São Tomé e Príncipe (África). Timor-Leste (Ásia) posteriormente aderiu ao acordo.

Embora o acordo tenha sido assinado, seu uso não foi posto em prática imediatamente. No Brasil e em Portugal, apenas foram oficializados em 2009. São Tomé e Príncipe ratificou em 2006 e Timor Leste em 2004.

Apesar de ele estar já em vigor no Brasil e em Portugal, seu uso ainda não é obrigatório. Ambos os países têm um prazo de até o fim de 2015 para oficializar definitivamente e vigorar as normas. No Brasil, os livros didáticos das escolas estaduais já utilizam o novo acordo.

Vale observar, por fim, que a língua portuguesa possui duas ortografias: a portuguesa (PT-PT), aderida por todos os países do CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), exceto o Brasil, onde é exercido o português brasileiro (PT-BR).

O que vem a seguir sobre o assunto são as mudanças ocorridas por causa do Novo Acordo. Para não estender muito este post, e para tornar fácil a localização apenas das mudanças, elas serão colocadas no segundo post sobre o assunto: Novo Acordo Ortográfico – Prática.

Fiquem no aguardo da sequência, que é também a parte mais complicada do assunto.


Nos vemos por aí. Beijocas! ;)



Artigos relacionados

0 comentários

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.