NaNoDiário - Semana #3 ou Quando Tudo Realmente Complica

O mês está chegando ao fim, o desafio também e esse é o nosso penúltimo NaNoDiário. Difícil até de acreditar, mas nossa, que mês. N...


O mês está chegando ao fim, o desafio também e esse é o nosso penúltimo NaNoDiário. Difícil até de acreditar, mas nossa, que mês. Nunca vi o tempo passar tão rápido e tão devagar. Mas aqui estamos, mais uma vez, para compartilhar os detalhes da nossa aventura nesse mundo do NaNoWriMo. Compartilhem vocês também!


Hairo-Rodrigo

Pois é, semana passada eu estava começando a me preocupar. Essa semana eu estou bastante preocupado. Quase arrancando os cabelos, para falar verdade. Passei por um bloqueio e minha contagem de palavras não subiu quase nada nos últimos sete dias. Verdade.

Nunca fui bom em escrever nos fins de semana. Sempre rendi mais nos dias úteis, como disse na primeira semana. E acontece que aqui no Rio, dos últimos sete dias, só três foram dias de trabalho. 

E eu só consegui escrever em dois. 

O que significa que faltando pouquíssimo tempo, fiquei bem atrasado pela primeira vez. Confesso que a previsão de fim de mês agitado me desanima um pouco, e não tenho certeza se vou alcançar a meta de cinquenta mil. Mas também sei que meu recorde pessoal em um único mês é de trinta e cinco mil. Então essa é a minha meta mínima. 

Isso significa que eu desisti? - No way! 

Não me dou bem com esse termo. Não me dou bem com essa palavra. Sei do desafio pela frente. Sabia quando me inscrevi. Firmei um compromisso comigo mesmo de que faria o meu máximo, e o mês ainda não acabou. Acima de trinta e cinco mil será o meu mês mais produtivo da vida em relação a escrita, mas eu ainda não tirei os olhos das cinquenta mil. Estou tentando recuperar o ritmo. Estou tentando recuperar o animo. E vou continuar tentando, até o último dia. Se sair derrotado, que pena. Sairei derrotado com dezenas de milhares de palavras em baixo do braço como prêmio. 

Prêmio de consolação? Talvez. Mas ainda assim feliz, orgulhoso e animado com o que fiz até agora. 

E, no lado positivo, fiz uma avaliação geral da minha história durante os dias de bloqueio e consegui mapeá-la inteira, capítulo por capítulo. Descobri que tenho que reescrever muita coisa, mas eu tenho um caminho muito mais tranquilo pelo qual seguir daqui para frente. Se eu não sair daqui com cinquenta mil palavras, saio do desafio com um livro muito bem encaminhado e bem consciente de que esse mês de Novembro pode ter mudado a minha vida.

***

Elyon Somniare


Não vou mentir, a hora está negra. Se a segunda semana era problemática, a terceira tem até nome oficial: Síndrome da Terceira Semana. Porquê? Não é a desmotivação ou o bloqueio da segunda semana, é a sensação que tudo o que se escreveu saiu fora do controlo, as coisas não batem certo umas com as outras, a plot que se tinha planeada mudou a meio do caminho e tudo o que se escreveu no início vai ter de ser alterado. Eu, como muitos outros, senti isto em anos anteriores - a solução é ignorar e andar.

Mas não este ano. Este ano o problema é maior, e prendeu-se com o facto de eu ter sido incapaz de me manter fiel a uma só história. Ok, acabei uma das minhas short-stories, e alguns dos contos, mas a long-story ficou-se pelo caminho, don’t know why (para o ano tento planear, a ver se corre diferente). Isso, e o facto de ainda estou 5 mil palavras atrasada. Never in my life eu me tinha atrasado tanto, but hey, NaNos diferentes, experiências diferentes! 

E ainda sobra uma semana para recuperar. See you in the end of November.

PS: Depois de escrever este testemunho, lancei-me a escrever pornô (whut?), e consegui ficar on track. Teehee.

***


Last Rose of Summer


Eu comecei o Nano com uma boa dianteira - e poderia até mesmo dizer ótima! 25 mil palavras em cerca de sete dias me deixaram absurdamente feliz e confiante, confiança esta que foi minada aos poucos nos outros sete dias que eu não consegui escrever nem mesmo 500 palavras. 

Estou atrasada, acho. Sou covarde demais para abrir a página do nano e ver exatamente o quanto eu preciso escrever por dia para chegar às cinquenta mil, mas sei exatamente que é isso que eu preciso fazer. Talvez eu consiga, talvez não, mas de qualquer forma, não vai ser uma experiência perdida, ou um tempo desperdiçado. Eu avancei mais nesta história do que jamais havia avançado em qualquer outra, e descobri que tenho a capacidade de escrever muito em pouco tempo. Você não consegue imaginar o que isso faz para o seu ego até passar pela experiência.

Não acho que vou chegar às cinquenta mil, e estou tentando, juro que estou, não me dar por vencida. Ainda não desisti, e sei que até o dia 30 de novembro, não terei desistido. Me desejem sorte :)

***

*voz de narrador da Sessão da Tarde* Parece que nossos bravos aventureiros não estão muito bem, mas, como um sábio homem (pode ter sido uma mulher também) uma vez disse, a esperança é a última que morre. Desejem sorte nos comentários, compartilhem suas próprias experiências, falem conosco!

Link para o #1 e o #2.

Continua...

Artigos relacionados

0 comentários

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.