Gostar ou não de um gênero: Boys Love [1/2]

<< Esse post é proibido para menores de 18 anos, por conter linguagem imprópria de cunho sexual.>> Por: Leo Albyno ...


<< Esse post é proibido para menores de 18 anos, por conter linguagem imprópria de cunho sexual.>>

Por: Leo Albyno

(Obs: Esse artigo foi dividido em duas partes. A segunda parte dele sai na seguinte quarta-feita)



Introdução:



Conhecendo os termos específicos referentes à categoria Boys Love


Boys love é um termo japonês para designar uma relação entre pessoas do mesmo sexo (homens). O relacionamento entre homens também é chamado de yaoi (no ocidente), termo bastante conhecido no mundo de fujoushis* (ou fudanshis, para homens) ou fan girls (fan boys) e é ainda alvo de preconceitos. Diga-se de passagem, é interessante ressaltar que o termo Boys Love (BL) servia para descrever paródias bizarras e doujinshis (dojins) com relações homossexuais explícitas entre dois homens. 

Pode-se dividir as relações homossexuais em animes e mangás em três categorias, a saber:


Shounen-ai (shounen = garoto; Ai = amor):


É o gênero mais leve. Subentende-se que há uma relação homoerótica entre personagens masculinos, caracterizada por declarações de amor, além de beijos e abraços "mais fortes" às vezes, beijos afetivos ou "sem querer" (situações inusitadas, à quais os personagens acabam por dar um beijo; esbarram-se ou viram-se e se dão um beijo, sem ser a reação intenção de ambos) e até mesmo aquelas cenas cortadas, que se acredita ocultar conteúdo do tipo homoerótico.

Cita-se como exemplo: Naruto.

Naruto tem um apreço absurdo por seu amigo Sasuke, acreditando que ele jamais seria capaz de fazer determinadas coisas. TODO o amadurecimento do personagem (Naruto) é originado através da busca, em trazer seu amigo de volta para casa, visto que ele (Sasuke) é obcecado por vingança e disposto a morrer por ela. Naruto sonha com o dia em que estará novamente reunido com o amigo e livre de todas essas coisas!




Yaoi (ya.ó.i):


É como o shounen-ai, só que mais quente e explícito. É caracterizado por cenas óbvias de romance entre dois homens, muitas vezes passando de carícias infantis (beijinhos no rosto, brincadeiras de agarrar etc), para perversões e cenas mais leves de sexo. 

Cita-se como exemplo: Junjou romantica.

A história gira em torno de um excêntrico escritor (Usagi-san) e o irmão de seu melhor amigo (Misaki-kun) e amor. Usagi é o tipo másculo, alto e mandão, enquanto Misaki é aquele adolescente de dezenove anos, que nunca ficou com uma garota na vida. Ele é meio escandaloso e está na flor da juventude. Misaki se vê inicialmente abusado pelo escritor, mas, no fim, acaba envolvido pela paixão, mesmo acreditando ser o substituto do próprio irmão... 



Lemon:


A categoria mais "avançada" dentre as supracitadas. Dentro do Boys Love, o lemon é marcado por cena explícita de sexo homossexual, porém, é um termo que é enfraquecido pela falta de conhecimento dos leitores. Alguns o chamam de yaoi por conta da relação homossexual também presente no outro gênero, porém é errado. Lemon se caracteriza por ser feito TUDO durante o sexo (violência, bondage, estupro etc), coisa que não se vê no gênero yaoi.

Cita-se como exemplo: Sensitive pornograph.

Sensitive pornograph é uma coleção de dois contos distintos, com cenas de sexo explícito entre homossexuais. O casal principal é formado por um escritor de nome Sono (na verdade um mangaka famoso) e Seiji, um jovem aspirante ao cargo de mangaka. Sono é um escritor promíscuo, que faz sexo com qualquer um que o peça, e conhece Seiji na entrega de um de seus trabalhos. O garoto, por sua vez, já era grande fã do escritor, mas não sabia que seu ídolo era um homem. A partir daí, bêbados, acabam fazendo sexo... E, até o final, acabam se apaixonando. 

***


No boys love é comum encontrar estereótipos (mais comuns nas categorias yaoi e lemon), cuja relação seja desenvolvida ou não durante a exibição do anime ou na leitura do mangá. Mas é importante deixar claro que sempre haverá aquele com papel "masculino", como em uma relação heterossexual, e aquele com papel "feminino". Mas como dito, é apenas um estereótipo que não é necessário ser seguido como regra, levando-se em conta que nem todo efeminado será passivo e nem todo ativo será totalmente másculo! Os personagens estereotipados, em uma relação homossexual, são chamados de seme, uke e reversible (não é comum), e são aqueles que: 


Seme: 

Basicamente será aquele a efetuar o papel masculino da relação. Geralmente criados como homens belos, altos e fortes, com características dominadoras!


Uke:

Aquele que desenvolve um papel feminino e mais frágil, ou seja, o passivo da relação. São geralmente os mais baixos e belos, além de sofrerem, muitas das vezes, com as perversões sexuais dos semes.


Reversible:

Termo pouco utilizado, que designa aqueles que podem se encaixar nos dois padrões acima. Aquele que é duvidoso até o momento em que algo é sugerido! No mundo homossexual, seriam os chamados “flex”: ou seja, poderia efetuar tanto o papel de um quanto de outro: ativo ou passivo (seme ou uke).


***

Notas: 
¹: Termo japonês a principio, difamatório, usado para referir-se a mulheres que gostam de conteúdo homossexual nos mangás ou animes. 


Artigos relacionados

0 comentários

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.